Vitalidade de Língua na Perspetiva da Comunidade de Fala: O caso do Patuá

Palavras-chave: Vitalidade de língua; Língua ameaçada de extinção; Comunidade de fala; Patuá; Avaliação da vitalidade de língua.

Resumo

Tendo em conta a teorização insuficiente da vitalidade de língua, este artigo explora as características da comunidade da vitalidade de língua por utilizar a “teoria da comunidade de fala” da sociolinguística. O artigo examina primeiro sete métodos de avaliação da vitalidade de língua e descobre que estes métodos têm considerado a natureza da comunidade em diferentes graus, o que pode ajudar a desenvolver a teoria da vitalidade de língua a partir da perspetiva da comunidade de fala. Por um lado, os estudos da vitalidade de língua na perspetiva da comunidade podem identificar as causas das mudanças na vitalidade de língua e, por outro lado, podem alargar o âmbito da proteção e do renascimento das línguas ameaçadas de extinção. Tomando o Patuá de Macau como exemplo, este artigo analisa as causas da sua emergência, propagação e declínio, e descobre que a mudança na sua estrutura da comunidade de fala é a causa da sua morte. Este artigo propõe finalmente algumas sugestões para a proteção do Patuá. O desenvolvimento das comunidades de fala do Patuá deve ser em conjunto com as comunidades ultramarinas dos portugueses nascidos em Macau. Porque as condições internas e externas destas comunidades são muito melhores para a manutenção e herança do Patuá do que a comunidade macaense.

 

Referências

Austin, P. & Sallabank, J. The Cambridge Handbook of Endangered Languages. Cambridge: Cambridge University Press, 2011.
Berg, M. Vitality, identity and language spread: the case of Shanghainese. Journal of Chinese Sociolinguistics, n. 2, p. 225-235, 2005.
Bourhis, R., Giles, H. & Rosenthal, D. Notes on the construction of a ‘subjective vitality questionnaire’ for ethnolinguistic groups. Journal of Multilingual and Multicultural Development, v. 2, n. 2, p. 145-155, 1981.
Cheng, X. & Liu, X. 澳門三語流通與中文的健康發展 (A circulação trilíngue em Macau e o desenvolvimento saudável da língua chinesa). 第三屆國際漢語教學討論會論文集 (O Terceiro Simpósio Internacional de Ensino da Língua Chinesa). Beijing, 1990.
O Clarim, 2019. Comunidade macaense nos estados unidos não esquece a língua dos avós. [online] Disponível em: [Acesso 22 July 2019].
Cui, Y. 澳門土生葡語及研究綜述 (O patuá e o seu estudo). In: Xu, J. & Zhou, J. 澳門語言研究三十年 (Os trinta anos de estudos de línguas de Macau). Universidade de Macau, 2019. p. 158-165.
Dai, Q. & Zhang, J. Endangered languages and weakened languages: A typological analysis of the linguistic vitality of maona. Journal of Minzu University of China, n. 1, p. 112-117, 2006.
Dorian, N. et al. Investigating Obsolescence. Cambridge: Cambridge University Press, 1989.
Eberhard, D., Simons, G. & Fennig, C. Ethnologue. 23. ed. Dallas, Texas: SIL International, 2020.
Endangered Languages Project. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2019.
Fishman, J. Reversing Language Shift: Theoretical and Empirical Foundations of Assistance to Threatened Language. Clevedon: Multilingual Matters, 1991.
Fan, J. Language vitality and endangerment. Minority Languages of China, n. 3, p. 51-61, 2006.
Fan, J. Towards a theory of language in ethnic group relations. In: GILES, H. Language, Ethnicity and Intergroup Relations. London: Academic Press, 1977.
Gumperz, J. Discourse strategies. Cambridge: Cambridge University Press, 1982. p. 24.
Hale K. Endangered languages: On endangered languages and the safeguarding of diversity. Language, v. 68, n. 1, p. 1-42, 1992.
Intercensos 2016 resultados globais. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2019.
Journal Puhua, 2019. 您知道“澳門甜美語言”嗎?澳門聖若瑟大學將開設瀕危語言澳門土生葡語碩士 (Você conhece “Dóci Língu di Macau”? Universidade de São José de Macau abrirá o curso de mestrado do patuá). [online] Disponével em: [Acesso 22 Julho 2019].
Krauss, M. The world's languages in crisis. Language, v. 68, n. 1, p. 4-10, 1992.
Ladhams, J. The formation of the Portuguese-based Creoles: Gradual or abrupt? In: SELBACH, R.; CARDOSO, H.; VAN DEN BERG, M. Gradual creolization: Studies celebrating Jacques Arends. John Benjamin Publishing, 2009. p. 238-246.
Landweer, L. Indicators of ethnolinguistic vitality. Notes on Sociolinguistics, v.5, n. 1, p. 5-22, 2000.
Lee, H. Contact Languages around the world and their levels of endangerment. Language Documentation and Conservation, v. 12, p. 53-79, 2018.
Lee, H.; VAN WAY, J. Assessing levels of endangerment in the Catalogue of Endangered Languages (ELCat) using the language endangerment index (LEI). Language in Society, v. 45, n. 2, p. 271-292, 2016.
Lewis, M. P.; Simons, G. F. Assessing endangerment: Expanding Fishman’s GIDS. Revue Roumaine de Linguistique, v. 55, n. 2, p. 103-120, 2010.
Li, Y. Theories and practices of China’s language resources. Chinese Journal of Language Policy and Planning, v. 4, n. 3, p. 16-28, 2019.
Mufwene, S. Language vitality: The weak theoretical underpinnings of what can be an exciting research area. Language, v. 93, n. 4, p. 202-223, 2017.
Rehg, K. & Campbell, L. The Oxford Handbook of Endangered Languages. Oxford: Oxford University Press, 2018.
Robins, R. & Uhlenbeck, E. Endangered Languages. Oxford; New York: Berg Publishers, 1991.
Schreiber, L.; Sitaridou, I. Assessing the sociolinguistic vitality of Istanbulite Romeyka: an attitudinal study, Journal of Multilingual and Multicultural Development, v. 39, n. 1, p. 1-16, 2017.
Seifart, F.; EVANS, N.; HAMMARSTRÖM, H.; LEVINSON, S. Language documentation twenty-five years on. Language, v. 94, n. 4, p, 324-345, 2018.
Simons, G. Two centuries of spreading language loss. Proceedings of the Linguistic Society of America, v. 4, n. 1, p. 27, 2019.
UNESCO Ad Hoc Expert Group. Language Vitality and Endangerment, Paris, 2003.
Wei, M. 正確評估和增強澳門的戰略地位 (Avaliar adequadamente e reforçar a posição estratégica de Macau). Revista de Administração Pública de Macau, v. 7, n. 3, p. 179-185, 1990.
Xu, D. Speech community theory. Journal of Chinese Sociolinguistics, n. 1, p. 22-32, 2004.
Xu, D. 社會語言學實驗教程 (O curso experimental sociolinguístico). Beijing: Peking University Press, 2010.
Xu, D. Language as a tool of communication and identification. Chinese Journal of Language Policy and Planning, v. 3, n. 2, p. 16-26, 2018.
Zhang, D. & Li L. Socio-psychological factors and language maintenance and shift in an american chinese community. Applied Linguistics, n. 1, p. 42-51, 2010.
Publicado
2021-12-29