A grande roda da saúde coletiva: cuidado, acolhimento e saúde mental em Ouro Preto / MG

  • Aisllan Diego Assis Escola de Medicina da Universidade Federal de Ouro Preto
  • Isabel Prado Iluminar Práticas Integrativas
Palavras-chave: Saúde Coletiva, Saúde Mental, SUS, Extensão Universitária, Relações Comunidade-Instituição, Educação em Saúde.

Resumo

O objetivo do trabalho é apresentar os resultados do programa de extensão “A Grande Roda da Saúde Coletiva” da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). O programa é realizado desde 2019 e tem por objetivo apoiar a Rede Intersetorial de Saúde Mental e Atenção Psicossocial do município. Está estruturado em quatro projetos estratégicos: os cursos de extensão 1) Saúde Mental, Direitos Humanos e Atenção Psicossocial; 2) Abordagens do suicídio: cuidado, acolhimento e prevenção; 3) o Grupo de Acolhimento; e 4) a Comunidade de Fala, sendo que suas atividades adotam as práticas integrativas e complementares em saúde (PIC´s) e as rodas como técnica grupal. O programa já realizou mais de mil atendimentos no Grupo de Acolhimento, formou 150 pessoas nos cursos de extensão, que por meio de usas conferências públicas, alcançaram mais de 1000 pessoas. Em 2020, foi criado o grupo de acolhimento virtual para os profissionais de saúde, a comunidade de fala para usuários da saúde mental e os cursos de extensão serão oferecidos na modalidade à distância, como formas de acolhimento e educação durante a pandemia da COVID -19. Assim, A Grande Roda da Saúde Coletiva segue girando e criando novas formas de cuidado e acolhimento na cidade.

Referências

AMARANTE, P. Saúde Mental e Atenção Psicossocial. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2007.
AMARANTE, Paulo; NUNES, Mônica de Oliveira. A reforma psiquiátrica no SUS e a luta por uma sociedade sem manicômios. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, n. 6, p. 2067-2074, Jun. 2018. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232018000602067&lng=en&nrm=iso . Acesso em 20/05/2020.
BARBOSA, Valquíria Farias Bezerra et al. O cuidado em saúde mental no Brasil: uma leitura a partir dos dispositivos de biopoder e biopolítica. Saúde em Debate [online]. 2016, v. 40, n. 108, pp. 178-189. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0103-1104-20161080015 . Acessado 28/05/2020.
BEZERRA, Olívia Maria De Paula Alves et al. Pênfigo Foliáceo Endêmico (Fogo Selvagem) e sua associação com fatores ambientais e ocupacionais em Ouro Preto, Minas Gerais, Brasil. CADERNOS SAÚDE COLETIVA (UFRJ), v. 25, p. 225-232, 2017. Disponível em https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-462X2017005002106&script=sci_abstract&tlng=pt . Acesso em 19/05/2020.
BOTEGA, Neury José. Crise suicida: avaliação e manejo. Porto Alegre: Artmed, 2015.
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde mental / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 176 p.: il. (Cadernos de Atenção Básica, n. 34). Disponível em http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/caderno_34.pdf . Acesso em 30/05/2020.
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.
CHAUCHARD, Paul. O acolhimento: psicofisiologia e educação da receptividade. São Paulo: Edições Paulista, 1973.
COSTA, Elisangela dos Santos; NOAL, Martha Helena Oliveira. O papel do projeto "Comunidade de fala" no empoderamento e recovery de usuários dos serviços de saúde mental. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental. V.9, n. 21. Florianópolis: 2017. Disponível em https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/69545/0 . Acesso em 24/05/2020.
DOLNY, Luise. L et al.(2020). Educação permanente em saúde (EPS) no processo de trabalho de equipes de saúde da família (ESF). Brazilian Journal of Health Review, V 3, n 1, 15-38. São José dos Pinhais /PR, 2020. Disponível em http://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/5876. Acesso em 24/05/2020.
ESTELLITA-LINS, Carlos. Manejo do Risco de Suicídio na Atenção Básica. In//: SOALHEIRO, Nina (org.). Saúde Mental para a Atenção Básica. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2017.
______________________. Trocando seis por meia dúzia: suicídio como emergência do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2012.
FIGUEIREDO, Adriana Maria de et al. Percepções dos estudantes de medicina da UFOP sobre sua qualidade de vida. Rev. bras. educ. med., Rio de Janeiro, v. 38, n. 4, p. 435-443, Dec. 2014. Disponível em https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-55022014000400004&script=sci_abstract&tlng=pt . Acesso em 25/05/2020.
FREITAS, Silvia Nascimento de et al. Risco nutricional na população urbana de Ouro Preto, sudeste do Brasil: estudo de corações de Ouro Preto. Arquivos Brasileiros de Cardiologia (Impresso), v. 88, p. 191-199, 2007. Disponível em https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0066-782X2007000200010&script=sci_abstract&tlng=pt . Acesso em 28/05/2020.
FURTADO, Juarez Pereira et al. A elaboração participativa de indicadores para a avaliação em saúde mental. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 29, n. 1, p. 102-110, jan. 2013. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2013000100012&lng=en&nrm=iso . Acesso em 26/05/2020.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Ouro Preto, Minas Gerais, Brasil. IBGE Cidade, 01, Jun., 2020. Disponível em https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/ouro-preto/panorama . Acesso em 01/06/2020.
JESUS, Edvanda Borges Pereira de. Os círculos restaurativos e suas práticas. In: XIII Seminário Nacional Demandas Sociais e Políticas Públicas na sociedade contemporânea, 2017, Santa Cruz do Sul, Anais. Santa Cruz do Sul, 2017. Disponível em https://online.unisc.br/acadnet/anais/index.php/snpp/article/view/16949 . Acesso em 28/05/2020.
LANE, Silvia Tatiana Maurer. O processo grupal. In: Lane, Silvia T.M; Codo, Wanderley (Org). Psicologia Social – O homem em movimento. 8ª Ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.
MARINHO, Carlos C. et al. Características demográficas, clínicas e epidemiológicas das pessoas vivendo com HIV/Aids em Ouro Preto (MG). GERAIS: REVISTA DE SAÚDE PÚBLICA DO SUS/MG, v. 5, p. 69-82, 2017. Disponível em https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2237-96222019000200318&script=sci_arttext . Acesso em 25/05/2020.
MENDES, Jacira de Oliveira. Afirmação da Reforma Psiquiátrica: um olhar sobre o CAPS1 Ouro Preto / MG. 2018. -Mariana, MG, 2018. 79 p. TCC (Graduação em Serviço Social) – Instituto de Ciências Sociais e Aplicadas, Universidade federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2018. Disponível em https://www.monografias.ufop.br/bitstream/35400000/1247/1/MONOGRAFIA_Afirma%C3%A7%C3%A3oReformaPsiqui%C3%A1trica.pdf . Acesso em 22/05/2020.
MENDES, Tatiana de Medeiros et al. Interação ensino-serviço-comunidade no brasil e o que dizem os atores dos cenários de prática: uma revisão integrativa. Revista Ciência Plural, v. 4, n. 1, p. 98-116, 6 jul. 2018. Disponível em https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/14283 . Acesso em 24/05/2020.
NUNES, Mônica de Oliveira et al. Reforma e contrarreforma psiquiátrica: análise de uma crise sociopolítica e sanitária a nível nacional e regional. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 24, n. 12, p. 4489-4498, Dec. 2019. Dísponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232019001204489&lng=en&nrm=iso . Acesso em 26/05/2020.
PRADO, Isabel Cristina de Almeida. A Dança dos opostos: Tai Chi e reconciliações no SUS. 2017. Rio de Janeiro, RJ, 2017. 117 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) – Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva, Instituto de Medicina Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017. Disponível em http://www.bdtd.uerj.br/tde_busca/processaPesquisa.php?listaDetalhes%5B%5D=7934&processar=Processar . Acesso em 20/05/2020.
PRANIS, Key. Processos Circulares. São Paulo: Palas Athena Editora. 1ed. 2010.
TESSER, Charles Dalcanale. Medicalização social (II): limites biomédicos e propostas para a clínica na atenção básica. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 10, p. 347-362, 2006. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/icse/2006.v10n20/347-362/pt/ . Acesso em: 28 nov. 2019.
VASCONCELOS, Eduardo Mourão (org.). Reinventando a vida: narrativas de recurpeação e convivência com o transtorno mental. Rio de Janeiro-São Paulo: EncantArte-HUCITEC, 2005.
WARSCHAUER, Cecília. Entre na Roda! A formação humana nas escolas e nas organizações. 1. Ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2017.
_____________________. Rodas em rede: oportunidades formativas na escola e fora dela. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.
WEINGARTEN, Richard. Quem são na verdade os chamados ‘doentes mentais’? In: Reinventando a vida: narrativas de recuperação e convivência com o transtorno mental. Rio de Janeiro-São Paulo: EncantArte-HUCITEC, 2005.
ZARA, Anamelia F. Prado et al. Grupo de Acolhimento em Saúde Mental e Reabilitação na Atenção Básica: uma reflexão sobre a potência de dispositivos grupais. Psicologia Revista, [S.l.], v. 17, n. 1/2, p. 77-97, fev. 2014. Disponível em https://revistas.pucsp.br/psicorevista/article/view/18022 . Acesso em: 26/05/2020.
Publicado
2021-01-13
Seção
Relatos de experiência ou Comunicação