A noção de crença na linguística aplicada: uma nova abordagem

  • Bruna Helena Rech Rocha Mestre em Letras (UniRitter) Professora da rede La Salle.
  • Valeria Brisolara UFRGS PUCRS JUCERGS
Palavras-chave: Crença, Linguística Aplicada, Bourdieu.

Resumo

A noção de crença vem sendo estudada pela Linguística Aplicada há pouco mais de vinte anos. Por isso, ainda existem perspectivas dentro desse tema que não foram exploradas. Nesse contexto, o objetivo deste artigo é discutir a noção de crença na Linguística Aplicada e apresentar uma nova abordagem para a questão. Para isso, é apresentada a noção de crença em Bourdieu (2015) tomando-a como fundamento para a ideia de que a crença é uma construção discursiva. Também é traçado um breve panorama dos estudos atuais sobre crenças dentro do escopo da linguística aplicada, partindo dos estudos de Barcelos (2006, 2008) e outros autores posteriores. Verificou-se que a maioria desses estudos utiliza o mesmo conceito de crença. Por isso, busca-se estabelecer uma nova perspectiva para o estudo das crenças em linguística aplicada partindo da noção de crença postulada na sociologia nos trabalhos de Pierre Bourdieu, o que representa uma ruptura epistemológica.

Biografia do Autor

Bruna Helena Rech Rocha, Mestre em Letras (UniRitter) Professora da rede La Salle.
Mestre em Letras pelo Centro Universitário Ritter dos Reis (2018). Especialista em Gestão de Instituições de Ensino pela Faculdade Porto-Alegrense (2014). Possui graduação em Letras pela Faculdade Porto-Alegrense (2011). Atua como professora de Língua Inglesa no Ensino Fundamental no Colégio La Salle São João.

Referências

BARCELOS, Ana .Maria . Ferreira.. Cognição de professores e alunos: tendências recentes na pesquisa de crenças sobre ensino e aprendizagem de línguas. In: BARCELOS, Ana Maria Ferreira;
ABRAHÃO, Maria Helena Vieira (Org.). Crenças e ensino de línguas: foco no professor, no aluno e na formação de professores. Campinas: Pontes, 2006.

BARCELOS, Ana . Maria. Ferreira.. Revisitando os conceitos de cultura de aprender e de ensinar línguas. In: SANTOS, Sílvia Costa Kurtz dos; MOZZILLO, Isabella (Org.). Cultura e diversidade na sala de aula de língua estrangeira. Pelotas: UFPEL, 2008.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas linguísticas: o que falar quer dizer. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007. 10ª ed. Tradução de Fernando Tomaz.

BOURDIEU, Pierre. A produção da crença: contribuição para uma economia de bens simbólicos. Porto Alegre:, Zouk, 2015. 3ª ed.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: editora UNESP, 2004. Tradução de Denice Barbara Catani.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2015b.

CALVET, Louis-Jean. Sociolinguística: uma introdução crítica. São Paulo: Parábola, 2002.

COELHO, Hilda Simone Henriques. “É possível aprender Inglês na escola?”: crenças de professores sobre o ensino de Inglês em escolas públicas. In: BARCELOS, Ana Maria Ferreira; ABRAHÃO, Maria Helena Vieira (Org.). Crenças e ensino de línguas: foco no professor, no aluno e na formação de professores. Campinas: Pontes, 2006.

CONSOLO, Douglas Altamiro. A. Uma reflexão sobre o falante nativo como paradigma no ensino aprendizagem de línguas estrangeiras. In: SANTOS, Sílvia Costa Kurtz dos; MOZZILLO, Isabella (Org.). Cultura e diversidade na sala de aula de língua estrangeira. Pelotas: UFPEL, 2008.

COOK, Vivian. Going Beyond the Native Speaker in Language Teaching. TESOL Quarterly. Vol. 33, n. 2, p. 185-204, Summer 1999.

GARBUIO, Luciene Maria. Crenças sobre a língua que ensino: foco na competência implícita do professor de língua estrangeira. In: BARCELOS, Ana Maria Ferreira; ABRAHÃO, Maria Helena Vieira (Org.). Crenças e ensino de línguas: foco no professor, no aluno e na formação de professores. Campinas: Pontes, 2006.KRAMSCH, Claire. Language and Culture. OUP, 2003.

KUMARAVADIVELU, B. A linguística aplicada na era da globalização. In: MOITA LOPES, Luis Paulo da. Por uma linguística aplicada INdisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006. p. 129-148

RAJAGOPALAN, Kanavillil. Linguistics and the myth of nativity: comments on the controversy over ‘new/non-native’ Englishes. Journal of Pragmatics, n.27, p. 225-231, 1997.

RAJAGOPALAN, Kanavillil. Por uma linguística crítica: linguagem, identidade e a questão ética. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

ROCHA, Bruna Helena Rech. Produção e circulação de crenças linguísticas e suas implicações identitárias: análise discursiva de peças publicitárias de curso de inglês online. Porto Alegre, 2018. 169 f. Dissertação (Mestrado) - Centro Universitário Ritter dos Reis, Faculdade de LetrasDireito, Porto Alegre, 2018

SILVA, Vera Lúcia Teixeira da. Um olhar sobre as crenças de egressos de um curso de Letras-LE sobre a fluência oral. In: ROTTAVA, Lucia; LIMA, Marília dos Santos (Org.). Lingüística aplicada: relacionamento teoria e prática no ensino de línguas. Ijuí: Ed. Unijuí, 2004.
Publicado
2020-11-04