A Educação Continuada e a Prática Pedagógica nas Representações de uma Professora de Inglês

  • Natália Mariloli Santos Giarola Castro Universidade Federal de Minas Gerais
  • Maralice de Souza Neves Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Representação, Educação Continuada, Prática pedagógica, Subjetividade

Resumo

A Linguística Aplicada possibilita uma interrelação com outras áreas do saber pautadas nos usos sociais da linguagem (PENNYCOOK, 2006; SZUNDY e NICOLAIDES, 2013). Por isso, este estudo aborda questões da LA buscando interpretações de dizeres a partir da Análise do Discurso atravessada pela Psicanálise, visto que o sujeito é múltiplo, afetado pela linguagem e vive em busca de uma completude que lhe falta (CORACINI, 2003; LACAN, [1966]1998). Neste artigo, objetivamos compreender as representações de uma professora de inglês sobre sua prática pedagógica e a educação continuada (EC), observando possíveis deslocamentos identitários. Percebemos nos discursos da docente traços do discurso pedagógico contemporâneo, além da EC ser representada como um espaço para aprender novas metodologias de ensino e compartilhar experiências. Este trabalho pode contribuir para problematizar a formação de professores, pois discutimos questões que podem levar os educadores a refletir sobre si como professores de língua estrangeira em permanente (re)constituição subjetiva.

Biografia do Autor

Natália Mariloli Santos Giarola Castro, Universidade Federal de Minas Gerais
Doutoranda em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais e professora de Língua Inglesa na Escola Estadual Santa Rita de Cássia.
Maralice de Souza Neves, Universidade Federal de Minas Gerais
Doutora e professora efetiva da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

ANDERSON, P. La didactique des langues étrangères à l’épreuve du sujet. Besançon: Press Universitaires Franc-Comtoises, 1999.
AUTHIER-REVUZ, J. Palavras incertas: as não-coincidências do dizer. Campinas: Editora da UNICAMP, 1998.
BARCELOS, Ana Maria Ferreira; COELHO, Hilda Simone Henrique (Org.) Emoções, reflexões e (trans)form(ações) de alunos, professores e formadores de professores de língua. Campinas: Pontes, 2010.
BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental: Língua Estrangeira/ Séc. de Educação Fundamental, Brasília: MEC/SEF, 1998.
CAVALCANTI, M. C. e MOITA LOPES, L. P. Implementação de Pesquisa na Sala de Aula de Línguas no Contexto Brasileiro. In: Trabalhos em Linguística Aplicada, vol.17, Campinas: UNICAMP, 1991.
CELANI, M. A. A. (Org.) Professores e formadores em mudança: relato de um processo de reflexão e transformação da prática docente. Campinas: Mercado das Letras, 2002.
______. Professores e formadores em mudança. São Paulo: Mercado de Letras, 2003.
CLARK, H. H. O uso da linguagem. In: Cadernos de Tradução, n. 9, jan/mar. 2000.
COELHO, H. S. H. É possível aprender inglês na escola pública? Crenças de professores e alunos sobre o ensino de inglês em escolas públicas. 2005. 145 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2005.
CORACINI, M. J. Subjetividade e identidade do(a) professor(a) de português. In: ______ (Org.) Identidade & Discurso: (des)construindo subjetividades. Campinas: Editora da UNICAMP; Chapecó: Argos Editora Universitária, 2003.
______. O olhar da ciência e a constituição da identidade do professor de língua. In: CORACINI, M. J.; BERTOLDO, E. S. (Orgs.). O desejo da teoria e a contingência da prática: discursos sobre e na sala de aula (língua materna e língua estrangeira). Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003a.
______. A celebração do outro: arquivo, memória e identidade. Campinas: Mercado de Letras, 2007.
DIAS, R. Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais. CBC Língua Estrangeira: ensinos fundamentais e médio. Disponível em: . Acesso em: 04 jun. 2016.
ECKERT-HOFF, B. Processos de identificação do sujeito-professor de língua materna: a costura e a sutura dos fios. In: CORACINI, M. J. Identidade & discurso: (des)construindo subjetividades. Campinas: Editora da UNICAMP; Chapecó: Argos Editora Universitária, 2003.
FREITAS, V. A. B. Aspectos da subjetividade brasileira no contato/confronto com uma língua estrangeira. In: BERTOLDO, E. S. Ensino e aprendizagem de línguas e a formação do professor. São Carlos: Claraluz, 2009.
FREUD, S. Identificação (1920). In: ______. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro, RJ: Imago, v.18. 1980.
GRIGOLETTO, M. Representação, identidade e aprendizagem de língua estrangeira. In: CORACINI, M. J. Identidade & discurso: (des)construindo subjetividades. Campinas: Editora da UNICAMP; Chapecó: Argos Editora Universitária, 2003.
LACAN, J. Escritos (1966). Tradução Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.
______. O Seminário livro 6: o desejo e sua interpretação (1958-1959). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2016.
MARTINEZ, P. Didática de línguas estrangeiras. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.
MICCOLI, L. Ensino e Aprendizagem de Inglês: experiências desafios e possibilidades. Campinas: Pontes Editores, 2010.
MILLER, J. A. Texto da 4ª. Capa. In LACAN, J. O Seminário livro 6: o desejo e sua interpretação. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2016.
MRECH, L. M. Mas, afinal, o que é educar? In: MRECH, L. M. (Org) O impacto da psicanálise na educação. São Paulo: Avercamp Editora, 2005.
NASIO, J. D. Lições sobre os 7 conceitos cruciais da psicanálise (1988). Trad. V. Ribeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1995.
NEVES, M. S. Processo discursivo e subjetividade: vozes preponderantes na avaliação da oralidade em língua estrangeira no ensino universitário. 2002. 276f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) - Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2002.
______. Aposta na contingência diante dos impasses. In: Jornada de língua inglesa, comunicação oral, Belo Horizonte: UFMG, 2016.
PALHARES, A. C. M. H., FRANÇA, T. L. O processo de conscientização na formação continuada de professores de língua inglesa. In: V Colóquio Internacional Paulo Freire, Recife, 2005.
PÊCHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. 3ª. Edição. Tradução Eni P. Orlandi. Campinas: Pontes, 2002.
PENNYCOOK, A. Uma linguística aplicada transgressiva. In: MOITA LOPES, L. P. da (Org.). Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: SP, 2006, p. 67-84.
PEREIRA, M. R. Resistência ao "amor à verdade". Colóquio do LEPSI IP/FE-USP, 3, São Paulo, SP, 2001.
PRADO, M. E. B. B. Pedagogia de projetos. Gestão Escolar e Tecnologias. 2009. Disponível em: . Acesso em: 02 jun. 2018.
ROUDINESCO, E. PLON, M. Dicionário de Psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.
SÓL, V. S. A. Trajetórias de professores de inglês egressos de um projeto de educação continuada: identidades em (des)construção. 2014. 259f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2014.
SOUZA, L. F. A. Entre aprender e ensinar língua(s) estrangeira(s): (re)construindo identidades. 2012. 229 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.
SZUNDY, P. T. C. A; NICOLAIDES, C. A ‘ensinagem’ de línguas no Brasil sob a perspectiva da linguística aplicada: um paralelo com a história da ALAB. In: GERHARDT, A. F. L. M.; AMORIM, M. A. de. CARVALHO, A. M. Linguística aplicada e ensino: língua e literatura. Campinas: Pontes, 2013.
TAVARES, C. N. V. Identidade itine(r)rante: o (des)contínuo (des)apropriar-se da posição de professor de língua estrangeira. 2010. 279f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada). Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2010.
______. Traços derradeiros de sedução na constituição do professor de LE. In: CORACINI, M. J.; GHIRALDELO, C. M. (Orgs.) Nas malhas do discurso: memória, imaginário e subjetividade. Campinas, SP: Pontes Editores, 2011.
VOLTOLINI, R. As vicissitudes da transmissão da psicanálise a educadores. Revista Estilos da Clínica, ano 3, col. Lepsi IP/FE – USP, 2002.
Publicado
2020-11-04