As modalidades deôntica e volitiva no artigo de opinião: a argumentatividade na coluna Confronto das Ideias do jornal O Povo

Palavras-chave: Modalidade, Argumentatividade, Artigo de Opinião.

Resumo

Neste trabalho, analisa-se o engendramento das modalidades deôntica e volitiva no artigo de opinião, considerando ambas as categorias modais como estratégias argumentativas. Nesse sentido, toma-se por base a tipologia das modalidades de Hengeveld (2004). Para isso, foram selecionadas 15 temas da coluna Confronto das Ideias do jornal O Povo do ano de 2019. A partir da análise qualitativa dos artigos de opinião selecionados, constatou-se que a modalidade deôntica é empregada no intuito de reforçar as obrigações inerentes às instituições públicas, em que o autor age como um porta-voz da deonticidade expressa ao colocar-se como fonte modal. Por sua vez, a modalidade volitiva pode ser empregada na manifestação dos desejos tanto do autor do artigo quanto de um outro sujeito introjetado no discurso, revelando o (des)comprometimento volitivo em relação ao evento desejado, tendo em vista o tipo de fonte volitiva.

Biografia do Autor

André Silva Oliveira, Universidade Federal do Ceará (UFC).
Especialista em Retórica e Argumentação (UNIARA). Mestre em Linguística (UFC). Doutorando em Linguística pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal do Ceará (PPGL/UFC).
Maria de Fátima de Sousa Lopes, Universidade Federal do Ceará (UFC).
Mestre em Linguística (UFC). Doutoranda em Linguística pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Ceará (PPGL/UFC).

Referências

GASPARINI-BASTOS, Sandra Denise; BRUNELLI, Anna Flora. A coocorrência de elementos modais em obras de autoajuda dirigidas a mulheres. Revista Estudos Linguísticos, v. 48, n. 1, p. 262-275, 2019. Disponível em: <https://bit.ly/36UExQS>. Acesso em: 08 nov. 2019.

GIOMI, Riccardo. Para uma caracterização semântica do futuro sintético românico: descrição e análise dos valores do futuro do indicativo em Português e em Italiano. 2010. 232f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística Geral e Românica, Universidade de Lisboa, Portugal, 2010.

HENGEVELD, Kees. Illocution, mood, and modality. In: BOOIJ, Geert; LEHMANN, Christian; MUGDAN, Joachim. Morphology: a handbook on inflection and word formation. v. 2. Berlin: Mouton de Gruyter, 2004, p.1190-1201.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Desvendando os segredos do texto. São Paulo: Cortez, 2002.

_____. Argumentação e Linguagem. São Paulo: Editora Cortez, 2011.

LOPES, Maria de Fátima de Sousa. Uma análise funcionalista da modalidade deôntica na coluna Confronto das Ideias do jornal “O Povo”. 2015. 147f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015.

NASCIMENTO, Erivaldo Pereira do; SILVA, Joseli Maria da. Modalização. In: ESPÍNDOLA, Lucienne (Org.). Teorias Pragmáticas e ensino. Natal: Editora da UFPB, 2014.

PALMER, Frank Robert. Mood and Modality. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

PARRET, Herman. Enunciação e pragmática. Campinas: UNICAMP, 1988.

Publicado
2020-12-27
Seção
Artigos - Fluxo contínuo