O lugar de onde se vê: a inclusão da pessoa com deficiência visual no teatro

  • Thayna Cristine Rodrigues Silva Universidade do Estado de Santa Catarina

Resumo

Este artigo pretende refletir sobre as formas de inclusão de uma plateia deficiente visual no teatro com ênfase nos recursos possíveis de serem utilizados para a compreensão de uma peça. Para tanto, foi feito um relato sobre duas experiências, uma realizada na Argentina e outra no Brasil. Dado que, etimologicamente, a palavra Teatro se refere ao “Lugar de onde se vê”, de que maneira as pessoas com deficiência visual o fariam?

PALAVRAS-CHAVE: Deficiência Visual. Teatro. Cultura. Sociedade. Inclusão.

Biografia do Autor

Thayna Cristine Rodrigues Silva, Universidade do Estado de Santa Catarina
Mestre em Teatro-educação pela Universidade do Estado de Santa Catarina, graduada pela mesma universidade e especialista em Educação Especial e Inclusiva pela Uniasselvi.

Referências

AMIRALIAN, Maria Lúcia Toledo Moraes. Compreendendo o Cego: Uma visão psicanalítica da cegueira por meio de desenhos-estórias. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1997.

BOSSU, Henri; CHALAGUIER, Claude. A expressão corporal. São Paulo: Difel, 1975. BRASIL. Ministério da Saúde e Ministério da Educação. Triagem de Acuidade Visual - Manual de Orientação. Brasília/DF, 2008.

LOMÔNACO, José Fernando Bitencourt e NUNES, Sylvia. O aluno cego: preconceitos e potencialidades. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, SP. Volume 14, Número 1, Janeiro/Junho de 2010.

LOWENFELD, Berthold. A criança e seu mundo. Tradução de J. Espínola Veiga. Revista Lente. São Paulo, Fundação para o Livro do Cego do Brasil, n 01, vol. 01, janabr, p. 23-31, 1957.

MAIOLA, Carolina dos Santos e SILVEIRA, Tatiana dos Santos. Deficiência visual. Centro Universitário Leonardo da Vinci, Indaial: Grupo UNIASSELVI, 2009.

RABÊ LLO, Roberto Sanches. Teatro Educação: uma experiência com jovens cegos. Salvador: EDUFBA, 2011.

PAVIS, Patrice. Dicionário de Teatro. Tradução de J. Guinsburg e Maria Lúcia Pereira. São Paulo: Perspectiva, 2007.

SÁ, Elizabet Dias de; CAMPOS, I. M.; SILVA, M. B. C. Deficiência visual. Atendimento educacional especializado. São Paulo: MEC/SEESP, 2007

VOLPI, Carolina Lúcia. Um teatro para não ser visto: diferentes formas de trabalhar com o público que não vê. Universidade Federal de Santa Catarina: UDESC, Florianópolis, 2013.

Publicado
2020-07-21