“Se Liga Macho": a encruzilhada po-ética de uma bixa preta

Palavras-chave: Performance Preta, Poéticas Pretas, Encruzilhada

Resumo

Propõe-se pensar filosoficamente a encruzilhada, terreno de Exu e tencionar as performances pretas decoloniais a partir desse lugar que nos permite transgredir, potencializar um lugar de fala a partir de uma poética, que implica uma ética e uma estética da existência preta. A encruzilhada é, desse modo, um potente agenciamento que temos para descolonizar a voz única do pensamento branco, europeu, cristão e normativo.

Biografia do Autor

Paulo Petronilio Correia, Universidade de Brasília

Pós-doutor em Performances Culturais. Doutor pela UFRGS. Mestre em Literatura pela UFSC, Mestre em Educação pela UFSC. Professor Adjunto IV de Filosofia da Educação na UnB/FUP. Ex Professor do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UnB/PPGCEN e das Performances Culturais UFG. Email: ppetronilio@uol.com.br

Publicado
2020-12-05