'Deslumbrante por ter Magnitude': A sonoridade estética do espetáculo Erê do Bando de Teatro Olodum

Palavras-chave: Olodum, Performance Musical, Música cênica, Poéticas Pretas, Teatro Negro

Resumo

Este artigo objetiva evidenciar a importância da sonoridade no espetáculo Erê do Bando de Teatro Olodum como mais um elemento dramático de comunicação com o público. De natureza qualitativa, cunho etnográfico e percurso exploratório-descritivo, os dados foram coletados através de revisão bibliográfica negrorreferenciada e entrevista semiestruturada com o diretor musical. Percebeu-se que a estética musical contribuiu expressivamente para o desenvolvimento comunicativo por apresentar e intensificar o texto dramático.

Biografia do Autor

Regia Mabel Freitas, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Régia Mabel da Silva Freitas é doutora em Difusão do Conhecimento (UFBA). Formadora Pedagógica decolonial. Pesquisadora, Palestrante e Organizadora de eventos, livros e periódicos acerca de epistemes negrorreferenciadas (Relações Raciais, com ênfase em Educação Antirracista, atuando em temas como Artes Negras, Culturas Africana e Afro-brasileira, Decolonialidade, Direito Antidiscriminatório e Feminismo Negro) numa perspectiva interseccional enucleando à raça as avenidas identitárias classe, crença, gênero, geração e orientação sexual. Coordenadora do Núcleo Multidisciplinar de Pesquisa e Extensão em Relações Raciais (NUMPERR).

Referências

BANDO DE TEATRO OLODUM. Disponível em: http://bandodeteatro.blogspot.com/. Acesso em: 02 ago. 2020.

BITTENCOURT, Jarbas. Entrevista concedida à autora. Salvador, 2018.

COLL, Cesar. et. al. Os Conteúdos na Reforma: ensino e aprendizagem de conceitos, procedimentos e atitudes. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

ERÊ. Espetáculo em comemoração aos 25 anos do Bando de Teatro Olodum. Salvador: Teatro Vila Velha, 2015. Texto não publicado.

KILOMBA, Grada. Memórias da Plantação – Episódios de racismo cotidiano. Cobogó: Rio de Janeiro, 2008.

KI-ZERBO, Joseph. Introdução Geral. História Geral da África. São Paulo/ Paris, Ática/UNESCO, 1980, p. 21-41.

SANTOS, Deoscoredes Maximiliano. Tradição e contemporaneidade. Palestra proferida no Musee National d´Art, Paris, France, 02/06/1989.

TINHORÃO, José Ramos. Os sons dos negros no Brasil. Cantos, danças, folguedos – origens. São Paulo: 34, 2008.

UZEL, Marcos. O Teatro do Bando Negro, Baiano e Popular. Salvador: Ministério da Cultura, Fundação Palmares, 2003.

Publicado
2020-12-05