PO-ÉTICAS PRETAS DE [RE]EXISTÊNCIA: APRESENTAÇÃO

Palavras-chave: Poéticas Pretas

Resumo

Brasil. Dezembro de 2020. Aqui, como em outras partes do mundo, explodem manifestações e protestos bradando: Vidas Negras Importam! Intelectuais negras e negros, aqui, como em outras partes do mundo, ocupam as redes sociais, abrindo espaços de fala para a denúncia do racismo estrutural. Artistas negras e negros ocupam a cena, numa efervescência política e estética inegável. Aqui, como em outras partes do mundo, é perceptível a urgência da produção de novos futuros e de possibilidades de existência para vidas negras. E é deste desejo, do desejo de cimentar ficções capazes de nos fazer projetar sonhos coletivos (Mombaça, 2016), que nasce o dossiê Po-éticas Pretas de [Re]Existência.

Especificamente, optamos por publicar aqui materiais que estão para além dos formatos usuais encontrados em pesquisas acadêmicas na área das artes, como artigos e resenhas, e trouxemos também relatos de experiência, narrativas autobiográficas, poemas-canções e fotomontagens de artistas e escritoras negras e negros que abordam o tema da (re)existência preto-po-ética.

Biografia do Autor

Nina Caetano, Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP

Nina Caetano é é performer, ativista feminista e pesquisadora da cena contemporânea. Doutora em Artes Cênicas pela ECA-USP, ela também é professora do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas e do Departamento de Artes da UFOP. Tendo como eixo central da sua pesquisa as relações estético-políticas entre feminismos e performance, ela coordena, desde 2013, o NINFEIAS – Núcleo de INvestigações FEminIstAS integrado por estudantes dos cursos de Artes Cênicas da UFOP.

Marcia Sousa , Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP

Márcia Cristina da S. Sousa é graduada em Artes Visuais pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) e mestre em Artes Cênicas pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Ouro Preto.  É integrante do NINFEIAS- Núcleo de INvestigações FEministAS (UFOP).

Referências

BUTLER, Judith. Quadros de Guerra: quando a vida é passível de luto. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.
CAETANO, Nina. Po-éticas de [re]existência – práticas feministas. Anais do IX Simpósio Internacional Reflexões Cênicas Contemporâneas - Jornada Internacional Atuação e Presença. Lume-UNICAMP e PPGADC-UNICAMP, Campinas, fevereiro 2020. Disponível em: https://gongo.nics.unicamp.br/revistadigital /index.php/simposiorfc/article/view/698 .
DIÉGUEZ CABALLERO, Ileana. Cenários Liminares: teatralidades, performances e política. Uberlândia: EDUFU, 2011.
IMARISHA Walidah. Reescrevendo o futuro: usando ficção científica para rever a justiça. Trad.: Jota Mombaça. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2016.
MBEMBE, Achille. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte. São Paulo: N-1 Edições, 2018.
MOMBAÇA, Jota. Rumo a uma redistribuição desobediente de gênero e anticolonial da violência. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2016.
REVEL, Judith. “Uma subjetividade que jamais cessa de inventar-se a si própria” (entrevista). IN: IHU – Revista do Instituto Humanitas Unisinos. Edição 203. São Leopoldo, 2006, pp. 20-28.
RIBEIRO, Djamila. O que é Lugar de Fala? Coleção Feminismos Plurais. Belo Horizonte: Letramento; Justificando, 2017.
ROCHA, Winny Silva. Performance Preta: encruzilhadas entre arte e política. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Filosofia, Artes e Cultura da Universidade Federal de Ouro Preto/ IFAC-UFOP, Ouro Preto, 2018.
Publicado
2020-12-05