DEPOIS D’O PRÍNCIPE: AS LEITURAS DE ISAIAH BERLIN E RAYMOND ARON E MAQUIAVEL NO SEU TEMPO

  • José Colen Universidade do Minho - Notre Dame University
  • Pedro Ferro AESE Business School - Lisboa
  • António Baião Universidade Nova de Lisboa

Resumo

Ao mesmo tempo em que Tomás More publicava a Utopia e Erasmo buscava o príncipe ideal, Maquiavel lançava o príncipe real na sua “verità effectuale”. Em vez da prudência, Maquiavel propõe a ‘astúcia’: a habilidade para conquistar ou defender o poder, usando a crueldade ou a perfídia nas doses estritamente necessárias manipulando as paixões dos homens. A sua leitura continuada nos últimos 500 anos não se deve exclusivamente à inovação da sua visão ou da sua metodologia face ao século XVI. Com efeito, a obra parece ter conseguido se tornar perene e atual em qualquer momento da vida política contemporânea. Examinamos as leituras que Raymond Aron e Isaiah Berlin fizeram do texto com o propósito de observar a contribuição que o pensador estudado pode dar para a solução de problemas da filosofia política relevantes no nosso próprio tempo.

Seção
ARTIGOS INÉDITOS