A fundamentação ontoprática do conhecimento. Marx e as novas vias de resolução teórica da relação entre sujeito e objeto.

  • Victor César Fernandes Rodrigues Universidade Federal Fluminense

Resumo

O presente artigo pretende elucidar as novas vias de resolução marxiana da relação entre sujeito e objeto, tendo como parâmetro a análise de José Chasin acerca do estatuto ontológico da obra marxiana. Com efeito, pretende demarcar o diferencial marxiano de resolução do problema, precisamente por terem sido fundamentados pela fundamentação ontoprática do ser, na atividade sensível de um objeto não mais “mudo”, e de um sujeito não mais apartado da realidade.

Biografia do Autor

Victor César Fernandes Rodrigues, Universidade Federal Fluminense
Graduado em Filosofia pela UFF. Mestrando em Serviço Socal pela UFJF

Referências

CHASIN. J. “Estatuto ontológico e resolução metodológica”. 2009. Ed. Boitempo.
LUKÁCS. G. Os princípios ontológicos fundamentais de Marx. Ed. Ciências Humanas LTDA. 1972

MARX. K. Manuscritos econômicos filosóficos Ed. Boitempo. 2010
________ A Ideologia Alemã. Ed Boitempo. 2007
________ Crítica da Filosofia do Direito de Hegel. Ed. Boitempo. 2005
________. Grundrisse. Ed. Boitempo. 2011
________ O Capital. Crítica da Economia Política. Ed. Boitempo. 2013
________ O Capital. Crítica da Economia Política. Ed. Civilização Brasileira. 2012

VAISMAN. E. “A Usina Onto-Societária do Pensamento”. Revista Ensaios Ad Hominem Tomo 1 – Marixmo, Estudos e Edições Ad Hominem. 1999
Publicado
2020-02-29
Seção
Artigos