Do sertanejo à sofrência: o universo afetivo das canções mais tocadas no rádio brasileiro

  • Carlos Jáuregui
Palavras-chave: música sertaneja brasileira, paixões, paradas musicais.

Resumo

Este trabalho estuda o universo afetivo recuperado a partir das dez canções mais tocadas no rádio brasileiro em 2016. A análise articula conceitos do campo da comunicação, análise do discurso e semiótica. Como se trata do estilo mais presente nos charts, fazemos também uma contextualização histórica da música sertaneja brasileira, em diferentes vertentes, com especial ênfase nos seus desenvolvimentos nos anos 2000. Como resultado, foi possível identificar a predominância de paixões relacionadas a frustrações amorosas, o que revela um afastamento da temática da festa e dos amores descompromissados que marcou o movimento que ficou conhecido como “sertanejo universitário”. Por outro lado, o corpus analisado se aproxima de uma tradição romântica da música sertaneja brasileira e incorpora elementos do arrocha nordestino e de ritmos caribenhos como o bolero e a bachata.

Referências

ADORNO, Theodor W. Sociologia. São Paulo: Ática, 1986.

ALONSO, Gustavo. Cowboys do asfalto: música sertaneja e modernização brasileira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

ANTUNES, Edvan. De caipira a universitário: a história de sucesso da música sertaneja. São

Paulo: Matrix, 2012

BRONSON, Fred. Hot 100 55th Anniversary: The All-Time Top 100 Songs. Billboard. 08 feb. 2013. Disponível < http://www.billboard.com/articles/list/2155531/the-hot-100-all-time-top-songs >. Acesso em 09 out. 2017

CARDOSO FILHO, Jorge; CERQUEIRA, Rose. O arrocha enquanto performance e representação: a música popular o corpo periférico a partir do músico Nenho. Revista Eco-pós. Dossiê Cultura pop, vol. 19 n.3, 2006.

CHAREAUDEAU, Patrick. A patemização na televisão como estratégia de autenticidade. In: MACHADO, Ida ; MENDES, Emília (org.). As emoções no discurso. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2010, vol. 2. p. 23-56.

COSTA, Rogério. Demarcações sobre o universo musical brega do Meio-norte contemporâneo. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. XXXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Anais (on-line) Fortaleza, CE – 3 a 7 de 2012. Disponível em: < https://bit.ly/2Poyax8 >. Acesso em: 09 out. 2017.

CROWLEY BROADCAST ANALYSIS. Disponível em: < http://www.crowley.com.br/ >. Acesso em: 09 out.2017.

FRANÇA, Vera; VIEIRA, Vanrochris. Sertanejo Universitário: expressão e valores de jovens urbanos no Brasil contemporâneo. Contemporânea – comunicação e cultura, v.13 – n.01 – jan-abr 2015 – p. 106-122

GREIMAS, Algirdas J. Du sens II: essais sémiotiques. Paris: Éditions du seuil, 1983.

KROGH, Mads. Formats, genres and abstraction: on musico-generic assemblages in the context of radio production. In: MICHELSEN, M.; KROGH, M.; NIELSEN, S.; HAVE, I. Music Radio: building communities, mediating genres. New York: Bloomburry Academic, 2019. p. 211-229

JÁUREGUI, Carlos. Cães, indignados e indignos: o pathos da indignação no discurso jornalístico. 266f. Tese (Doutorado em Comunicação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015. Orientador: Elton Antunes.

JANOTTI JR, Jeder. Música popular massiva e gêneros musicais: produção e consumo da canção na mídia. Comunicação, mídia e consumo. São Paulo, vol. 3 n. 7, jul. 2006. p. 31-47

LAMB, Bill. What does Top 40 Mean? The origin of the term, its history, and its meaning today. Thoughtco. Disponível em: < https://www.thoughtco.com/what-does-top-mean-3246981 >. Acesso em 14 nov. 2017.

MICHELI, Raphaël. Les emotions dans le discours: modèle d’analyse, perspectives empiriques. Bruxelles: De Boeck, 2014.

PEREIRA, Sônia. Estudos de música popular – uma breve genealogia. Revista Exedra. Coimbra, nº 5, 2011.

TATIT, Luiz. O Século da Canção. São Paulo: Ateliê Editorial, 2004.

_____, Luiz. Musicando a semiótica. São Paulo: Annablume, 1997.

VLADI, Nadja. O sotaque pop da sofrência. In: XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação - Intercom. Anais (on-line). Rio de Janeiro, RJ, 4 a 7 de 2015. Disponível em: < http://portalintercom.org.br/anais/nacional2015/resumos/R10-3260-1.pdf > . Acesso em 14 nov. 2017.

ZÉ, Tom; BARRETO, Vicente. “Na parada do sucesso”. IN: ZÉ, Tom. Correio da Estação do Brás. São Paulo: Warner Music Brasil, 1978. (36 min). Disponível em: < https://spoti.fi/38klNuL >. Acesso no Spotify em 14 nov. 2017.

WIKIPÉDIA. Música sertaneja. Disponível em < https://pt.wikipedia.org/wiki/Música_sertaneja >. Acesso em 14 nov. 2017.

Homepages dos artistas incluídos do ranking da Crowley Broadcast Analysis

EDUARDO COSTA. Site Oficial. Disponível em: < http://www.cantoreduardocosta.com.br >. Acesso em 14 nov. 2017.

FERNANDO ZOR. Site Oficial. Disponível em: < http://www.fernandozor.com.br/ >. Acesso em 14 nov. 2017.

GUSTTAVO LIMA. Site Oficial. Disponível em: < http://gusttavolima.com.br >. Acesso em 14 nov. 2017.

HENRIQUE E DIEGO. Site Oficial. Disponível em: < http://www.henriqueediego.com.br >. Acesso em 14 nov. 2017.

JORGE E MATEUS. Site Oficial. Disponível em: < https://jorgeemateus.com.br >. Acesso em 14 nov. 2017.

MAIARA E MARAÍSA. Site Oficial. Disponível em: < http://www.maiaraemaraisa.com.br >. Acesso em 14 nov. 2017.

MARÍLIA MENDONÇA. Site Oficial. Disponível em: < http://www.mariliamendoncaoficial.com.br >. Acesso em 14 nov. 2017.

MARCOS E BELUTTI. Site Oficial. Disponível em: < http://marcosebelutti.com.br/ >. Acesso em 14 nov. 2017.

NAIARA AZEVEDO. Site Oficial. Disponível em: < http://www.naiaraazevedo.com >. Acesso em 14 nov. 2017.

VICTOR E LEO. Site Oficial. Disponível em: < http://www.victoreleo.com >. Acesso em 14 nov. 2017.

ZÉ NETO & CRISTIANO. Site Oficial. Disponível em: < http://www.zenetoecristiano.com.br >. Acesso em 14 nov. 2017.

Publicado
2020-01-04
Edição
Seção
Artigos