O rádio e a prestação de serviço no Agreste de Pernambuco em tempos de pandemia

Palavras-chave: rádio, prestação de serviço, Covid-19, Agreste de Pernambuco

Resumo

Como o rádio tem atuado como prestador de serviços à comunidade de Caruaru e Região durante a pandemia da Covid? Esta é a pergunta norteadora de uma pesquisa, apresentada em parte neste artigo, que analisa o conteúdo de dois programas das rádios Cultura e Jornal de Caruaru, município pólo do Agreste de Pernambuco. Embora a pesquisa comece na segunda quinzena de março e termine em agosto, selecionamos um mês (abril) para construir este artigo. A escolha das rádios se deu porque a Rádio Jornal é a sucessora da primeira emissora de Caruaru. Já a Rádio Cultura é a segunda mais antiga da cidade. Foram utilizados os métodos de pesquisa bibliográfica, de coleta de dados e de Análise de Conteúdo. Concluímos que os programas, de formas distintas, conseguem tornar públicas necessidades reais e imediatas da comunidade local, sinalizando que o rádio tem ainda um importante papel de cobrança quando o poder público falha.

Biografia do Autor

Giovana Borges Mesquita, Universidade Federal do Maranhão, campus Imperatriz

Doutora em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco, com estágio doutoral na Universidade Pompeu Fabra de Barcelona. Professora adjunta da Universidade Federal do Maranhão(UFMA), campus Imperatriz. Coordenadora do Programa de Rádio Imperatriz 50 graus e do Grupo de Pesquisa Dinâmicas do Jornalismo.

Sheila Borges de Oliveira, Universidade Federal de Pernambuco

Professora adjunta do Núcleo de Design e Comunicação da UFPE. Doutora em Sociologia, mestra em Comunicação, jornalista e publicitária. Desenvolve projetos de pesquisa e extensão em jornalismo, mídias sonoras, política, sociologia e mídias sociais. É autora do livro O repórter-amador: uma análise das disposições sociais motivadoras das práticas jornalísticas do cidadão comum e uma das organizadoras dos livros Os impactos das novas mídias na comunicação - Volumes 1 e 2.

Referências

BARBOSA FILHO, A. Gêneros radiofônicos: os formatos e os programas em áudio. São Paulo. Paulinas, 2003.

BARBEIRO, Heródoto; LIMA, Paulo Rodolfo de. Manual de Radiojornalismo. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2003.
BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1988.
BAUER, Martin W. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: BAUER, Martin W.; e GASKELL, G. (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis: Vozes, 2007.
CANCLINI, N.G. Consumidores e cidadãos. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1996
DEUS, S.f.b. Reclamações do ouvinte: ouvinte reclama? IN: IX SIPEC Sudeste, 2002, Campos do Goytacazes, RJ. Trabalhos do IX Sipec – Sudeste, 2002.
FONSECA JÚNIOR, Wilson Corrêa da. Análise de conteúdo. In: DUARTE, J. e BARROS, A. (org.) Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2005, p. 64-82.
MESQUITA, G. PAZ, C. Integrando Comunicação e Medicina no ensino da Comunicação Comunitária: uma experiência brasileira inovadora. In: Revista Contratexto, 2020, Lima.
Kantar Ibope Media. O rádio hoje: consumo de rádio no Brasil avança no offline e no digital. Grande variação de conteúdo beneficia a procura pelo meio. Sindicato das Empresas de Rádio e TV do Rio Grande do Sul: Porto Alegre, 2020. Reportagem publicada no dia 16 de abril de 2020. Acesso pelo link: https://www.sindiradio.org.br/noticias/item/o-radio-hoje-consumo-de-radio-no-brasil-avanca-no-offline-e-no-digital-grande-variacao-de-conteudo-beneficia-procura-pelo-meio.html
KISCHINHEVSKY, Marcelo. Rádio e mídias sociais: mediações e interações radiofônicas em plataformas digitais de comunicação. Rio de Janeiro: Mauad X, 2016.
KRIPPENDORFF, Klaus. Metodologia de análisis de contenido. Barcelona: Paidós, 1990.
PRADO, Magaly. Produção de rádio: manual prático. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.
PRATA, Nair. Webradio: novos gêneros, novas formas de interação. Florianópolis: Insular, 2 ed., 2012.
SANTOS, Rayanne Elisa da Silva. SILVA, Letícia Maria de Souza. OLIVEIRA, Sheila Borges de. O inventário do rádio: memória e gêneros radiofônicos em Caruaru. In: Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, 42º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2019, Belém. Anais Belém, 2019.
Publicado
2020-11-08
Seção
Dossiê “Rádio e catástrofes"