Rádio universitário e interesse público: uma análise a partir da programação musical

Palavras-chave: Rádio Universitário; Interesse Público; Esfera pública; Nova MPB

Resumo

As rádios universitárias brasileiras se autoproclamam emissoras públicas, mas enfrentam críticas por adotarem uma programação musical que exclui grandes parcelas da audiência. São consideradas elitistas e, por conseguinte, incapazes de atender ao interesse público. Essa crítica recorrente, porém, não define o que é interesse público. Este trabalho parte de autores do campo da comunicação pública em busca de uma conceituação de interesse público para, posteriormente, analisar a programação de uma emissora universitária, a Unesp FM, de Bauru, a partir dos relatórios elaborados para o Ecad. A hipótese que norteia a investigação é a de que a programação musical da emissora, com espaço privilegiado para a Nova MPB, pode atender ao interesse público na medida em que contribua para ampliar a esfera pública.  

Biografia do Autor

Helton Ribeiro, Universidade Estadual Paulista - Unesp

Mestre em Comunicação Midiática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003). Graduado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1996). Graduado em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (2006). Assessor de comunicação social no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária desde 2006.

Carlos Barros Monteiro, Universidade Federal do Amazonas, campus Parintins

Doutor em Inovações Tecnológicas na Comunicação Contemporânea e atualmente é professor permanente da UFAM - Universidade Federal do Amazonas campus Parintins Vice-coordenador do curso de Comunicação Social – Jornalismo e coordenador do laboratório de videodifusão. Trabalhou em diversos canais de televisão pelo Brasil, também prestando serviço em emissoras de rádio, com trabalhos acadêmicos, além de ministrar aulas na graduação e pós-graduação em oito faculdades nos estados de São Paulo e Espírito Santo também coordenando cursos de Comunicação (Rádio, TV e Internet; Jornalismo; Publicidade e Propaganda). Finalista prêmio nacional mestrado Intercom comunicação pública e cidadania (Uerj, 2005), com pesquisas concentradas nos seguintes temas: gestão de produção de conteúdo de rádio e TV, Políticas Públicas de Comunicação, Legislação em Comunicação Comunitária e Cidadã. Autor do livro sobre Rádio e TV pública e legislativa. Autor de diversos capítulos de livros e artigos em revistas especializadas sobre o assunto. Coordenador geral do XVIII Congresso Brasileiro de Comunicação da região Norte – Intercom 2019.

Referências

ALMEIDA, Laís Barros Falcão de. A MPB em mudança: cartografando a controvérsia da nova MPB. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 2016.

BOURDIEU, Pierre. A opinião pública não existe. Comunicação feita em Noroit (Arras) em janeiro de 1972 e publicada em Les Temps Modernes, 318, janeiro de 1973. Disponível em . Acesso em: 23 ago. 2019.

CRESPI, Irving. Un modelo de opinión pública. In: CRESPI, Irving. El proceso de opinión pública: como habla la gente. Barcelona: Ariel, 2000.

FREITAS, Maralice Magalhães de. Radiodifusão pública no Brasil segundo os princípios da UNESCO. 2017. 192f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão de Processos Institucionais) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.

GONÇALVES, Suzana Maria Dias. Nova MPB no centro do mapa das mediações: a totalidade de um processo de interação comunicacional, cultural e político. Dissertação de Mestrado. Curso de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), 2014.

HERSCHMANN, Micael; KISCHINHEVSKY, Marcelo. Tendências da indústria da música no início do século XXI. In: JANOTTI JR, Jeder Silveira, et al (orgs). Dez anos a mil: mídia e música popular massiva em tempos de internet. Porto Alegre: Simplíssimo, 2011.

JANOTTI JR, Jeder Silveira; PIRES, Victor de Almeida Nobre. Entre os afetos e os mercados culturais: as cenas musicais como formas de mediatização dos consumos musicais. In: JANOTTI JR, Jeder Silveira, et al (orgs). Dez anos a mil: mídia e música popular massiva em tempos de internet. Porto Alegre: Simplíssimo, 2011.

JARAMILLO LÓPEZ, Juan Camilo. Advocacy: uma estratégia de comunicação pública. In: KUNSCH, Margarida Maria K. (org.). Comunicação Pública, sociedade e cidadania. São Caetano do Sul: Ed. Difusão, 2011.

MAINERI, Tiago. Um peso, duas medidas. Desvelando a comunicação pública na sociedade midiatizada. Goiânia: Gráfica UFG, 2016.

MATOS, Heloiza. Comunicação pública, democracia e cidadania: o caso do Legislativo. In: BRANDÃO, E.; MATOS, H.; MARTINS, L. Algumas abordagens em Comunicação Pública. Brasília: Casa das Musas, 2003. p. 21-32.

MATTELART, Armand. A construção social do Direito à comunicação como parte integrante dos direitos humanos. In: INTERCOM. Revista brasileira de Ciências da comunicação São Paulo, v. 32, n. 1 pp 33-50, jan/junho de 2009.

MIGUEL, Luis Felipe. Democracia e representação: territórios em disputa. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

______. Os meios de comunicação e a prática política. Lua Nova, São Paulo, n. 55-56, p. 155-184, 2002.

PRO-MÚSICA BRASIL. Mercado fonográfico mundial e brasileiro em 2018. Disponível em: Acesso em 28 mai. 2019.

RADIOS.COM.BR. Rádios FM mais acessadas por Estado. Relatório gerado em: 23-11-2019 às 17:22:08. Disponível em: Acesso em: 23 nov. 2019.

RIBEIRO, Helton Lucinda. Pra não dizer que não falei de Ivete Sangalo: a programação musical da Unesp FM. Revista Sonora, Campinas, n. 14, 2019. Disponível em: Acesso em 8 jul. 2020.

ROTHBERG, Danilo. Jornalismo público: informação, cidadania e televisão. São Paulo: Editora Unesp, 2011.

STARLING, Heloisa Maria Murgel. Música Popular Brasileira: outras conversas sobre os jeitos do Brasil. In: BOTELHO, André e SCHWARCZ, Lilia Moritz (orgs.). Agenda brasileira: temas de uma sociedade em mudança. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

TROTTA, Felipe. Música e mercado: a força das classificações. In: Revista Contemporânea, Vol. 3, número 2, p. 181 – 196, Julho/Dezembro 2005. Facom/Ufba. Salvador, 2005. Disponível em Acesso em 31 mai 2019.

UNESCO. Public Broadcasting: Why? How? Conseil mondial de la radiotélévision (Canada), 2001. Disponível em Acesso em 6 nov 2019.

UNESP FM. Relatório Geral de Músicas Veiculadas pela Rádio Unesp FM em 2018. Disponível em Acesso em 16 abr. 2019.

UNESP FM. Relatório Geral de Músicas Veiculadas pela Rádio Unesp FM em 2019. Disponível em Acesso em 21 set. 2020.

ZUCULOTO, Valci Regina Mousquer. A programação de rádios públicas brasileiras. Florianópolis: Insular, 2012.
Publicado
2021-01-31
Seção
Artigos