GESTO NA/DA ARTE: TRADUÇÕES E QUESTIONAMENTOS

Palavras-chave: Gesto, Poesia, Artes

Resumo

Para além do mero gesto de uma tradição cultural, como o meneio da cabeça, o gesto compõe a arte. Ele acompanha as leituras em voz alta, que tornam presentes aquilo de que trata o poema. Hans Ulrich Gumbrecht evoca esse suporte em reiteradas oportunidades, entre outras quando recupera presença e plenitude no estudo acerca da filosofia de Paul Zumthor. E na dança, na pantomima, na representação teatral? Em que medida o gesto contribui para a imitação? Para a representação? Ao apresentar a tradução de três textos – "Sobre a Pantomima" (1911) de Hugo von Hofmannsthal, a "Carta à dançarina Napierkowska" de Carl Einstein (1911) e excertos de Bertholt Brecht sobre o "gesto social" nas artes cênicas –, pretendo especular as distinções entre pantomima, dança representativa e o princípio do "gesto social" na arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Aparecida Barbosa, Universidade Federal de Santa Catarina

Maria Aparecida Barbosa é 

Professora Associada da Universidade Federal de Santa Catarina, atua no Curso de Letras - Alemão e é membro do Programa de Pós-Graduação em Literatura.

Referências

BRECHT, Bertholt. In: Gesammelte Werke. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1967.

EINSTEIN, Carl. “Brief an die Tänzerin Napierskowska”. In: Carl Einstein Werke, Band 1 1908-1918. Berlin: Medusa, 1980. Fls.57-59.

HOFMANNSTHAL, Hugo von. Sämtliche Werke XXXIV: Reden und Aufsätze 3 - 1910-1919. Frankfurt am Main: Fischer, 2009.

SAMÓSATA, Luciano de. “Dança”. Luciano [II]. Tradução do grego, introdução e notas Custódio Magueijo.

Publicado
2019-02-18
Seção
Dossiê