Para além do círculo vicioso

uma análise do tempo e da repetição no cinema de Béla Tarr

Palavras-chave: Béla Tarr, Cinema, Estética, Filosofia, Gilles Deleuze

Resumo

Este artigo traz à tona uma análise da repetição e do tempo nos filmes de Béla Tarr, mais detidamente no filme O Cavalo de Turim. Visando a potência da imagem, a análise deste artigo volta-se para o teor intensivo da repetição e sua positividade inumana, investigando-a como um modo procedimental de Béla Tarr. Como fonte teórica, além de livros dedicados à obra do cineasta, fez-se uso de alguns escritos filosóficos, como de Gilles Deleuze e de Pierre Klossowski. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Breno Isaac Benedykt, Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo. Bolsista FAPESP (número do processo: 2018/03080-9)
É doutorando em Filosofia pela Universidade de São Paulo, com bolsa FAPESP, sob orientação do Prof. Dr. Celso Fernando Favaretto, na área de concentração de Estética. É formado em Filosofia e em Pedagogia pela Universidade de São Paulo. Mestre em Educação, na área de concentração, Cultura e Educação, pela Universidade de São Paulo, com bolsa FAPESP.

Referências

BLANCHOT, M. La escritura del desastre. Madrid. Ed. Trotta, 2015.

DELEUZE, G. A imagem-movimento: cinema I. Lisboa. Ed. Assírio & Alvim, 2009.

__________. A imagem-tempo: cinema II. São Paulo. Ed. Brasiliense, 2005.

__________. A lógica do Sentido. 5a ed. São Paulo: Perspectiva, 2011.

__________. Causas e razões das ilhas desertas [Manuscrito dos anos 50]. In: A Ilha Deserta. LAPOUJADE, D. (Org.). São Paulo. Ed. Iluminuras, 2010.

__________. Diferença e Repetição. 1a ed. Lisboa: Relógio D’Água Editores, 2000.

__________; GUATTARI, F. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Vol. 1. 1a ed. São Paulo: 34, 1995.

__________; _________. Maio de 1968 nunca existiu. Disponível em: Revista Trágica: estudos de filosofia da imanência – 1º quadrimestre de 2015 – Vol. 8 – n 1º.

HÉNONIN, M. A.; TARR, B. Entrevista Béla Tarr. Disponível em: http://latempestad.mx/bela-tarr-entrevista. Fev. 2013. Último acesso em Set. 2014.

KLOSSOWSKI, P. Nietzsche y el círculo vicioso. Buenos Aires. Editora: Caronte Filosofía, 1986.

KOSSOVITCH, L. Signos e poderes em Nietzsche. São Paulo. Ed. Azougue, 2004.

KOVÁCS, A. B. The Cinema of Béla Tarr. New York. Ed. Columbia University Press, 2013.

LESTOCART, J-L; TARR, B. Entrevue Béla Tarr. Un cinéma topologique. ArtPress, 279, 2002.

MICHAUX, H. Antología poética. Buenos Aires. Editora: Adriana Hidalgo, 2002.

RANCIÈRE, J. Béla Tarr: O tempo do depois. Lisboa. Ed. Orfeu Negro, 2013.

ROSEMBAUM, J. The importance of being sarcastic. In: Chicago Reader. 13 de Out. 1994.

SCHLOSSER, E; TARR, B. Interview Béla Tarr: About Werckmeister Harmonies (Cannes 2000, Director’s Fortnight). Disponível em: http://brightlightsfilm.com/interview-bela-tarr-werckmeister-harmonies-cannes-2000-directors-fortnight/#.VrEIQlLGD7Q. Out. 2000. Acesso em: 20 Mar. 2018.

SÉLAVY, V; TARR, B. The Turin Horse: Interview with Béla Tarr. Electric Sheep: a deviant view of cinema. Disponível em: http://www.electricsheepmagazine.co.uk/features/2012/06/04/the-turin-horse-interview-with-bela-tarr/. 04 Jun. 2012. Acesso em: 28 Dez. 2017.

Ninho Familiar. Direção: Béla Tarr. Hungria, 1977. 100’, som., cor.

O Outsider. Direção: Béla Tarr. Hungria. 1981. 124’, som., cor.

Pessoas Pré-fabricadas. Direção: Béla Tarr. Hungria, 1982. 82’, som., cor.

Almanaque de Outono. Direção: Béla Tarr. Hungria, 1984. 115’, som., cor.

Maldição. Direção: Béla Tarr. Hungria, 1987. 122’, som., pb.

Satantango. Direção: Béla Tarr. Alemanha/Hungria/Suíça, 1994. 430’, som., pb.

Harmonias de Werckmeister. Direção: Béla Tarr. Alemanha/França/Hungria/Itália, 2000. 145’, som., pb.

O Cavalo de Turim. Direção: Béla Tarr; Ágnes Hranitzky. Alemanha/EUA/França/Hungria/Suíça, 2011. 146’, som., pb.

Publicado
2021-03-29
Seção
Filosofia e arte