Ready for Love: Violência e exceção em ‘Clockwork Orange’

  • Antonio Teixeira

Resumo

Através da versão cinematográfica, por S. Kubrick, do livro A Laranja mecânica, de A. Burguess, o autor aborda o conflito entre direito e violência. O argumento inicial consiste no caráter paradoxal do direito que, ao oferecer-se como dispositivo de controle da violência, depende, para funcionar, da imposição violenta de um lugar de exceção. Nesse sentido, o filme surge como ilustração das conseqüências geradas pela intrusão, no campo político, do modelo científico do qual se exclui a exceção, dando lugar a uma visão mecanicista da lei pela aplicação dos regulamentos codificados. O real se faria sentir, segundo o autor, através do retorno violento de uma figura de exceção representada pelo protagonista.
Publicado
2017-04-20
Seção
Cinema, literatura e filosofia