Crítica cultural e sociedade unidimensional

  • Robespierre de Oliveira

Resumo

A crítica cultural da “Escola de Frankfurt” não se resume apenas à questão cultural ou artística, tampouco pode ser considerada “pessimista” ou “elitista”. A crítica cultural relaciona tanto a crítica à cultura quanto à sociedade, do mesmo modo que Marx mostrou a relação entre a produção material e a reprodução espiritual da sociedade. É desta maneira que Benjamin elaborou sua crítica ao cinema, Adorno cunhou a expressão “indústria cultural” e Marcuse a “dessublimação repressiva”. Benjamin constatou a afecção da experiência pelas novas tecnologias de reprodução cultural. Adorno apontou a regressão da audição no fenômeno da distribuição musical, mas poder-se-ia estender a noção para a regressão dos sentidos. Marcuse também elaborou a “perda” com o conceito de “dessublimação repressiva” apontando para a sociedade unidimensional. As mudanças na sociedade contemporânea mostram os limites da crítica cultural frankfurtiana, mas, ao mesmo tempo, revelam sua atualidade.
Publicado
2017-04-24
Seção
Arte e sociedade