ONTOLOGIA DA ARTE: DA ANÁLISE CATEGORIAL À NARRATIVIDADE HISTÓRICA

  • Debora Pazetto Ferreira

Resumo

O objetivo deste artigo é investigar a análise categorial de Amie Thomasson e a concepção ontológica de Arthur Danto a respeito das obras de arte, mostrando a base comum e as diferenças entre os dois pensadores. A base comum é que ambos pretendem desenvolver uma ontologia da arte que não exclua nenhuma manifestação empírica de arte. A diferença principal é que Thomasson, ao contrário de Danto, não elabora uma definição de arte. Pretende-se mostrar que o conceito de “mundo da arte”, modelado por narrativas históricas, é o que torna a teoria de Danto mais bem sucedida em relação à de Thomasson para a apreensão do conceito de obra de arte, além de mais apta para abordar a peculiaridade da arte contemporânea.
Publicado
2017-04-24
Seção
Expressão e interpretação