Merleau-Ponty e o museu

  • José Luiz Furtado
Palavras-chave: Estética, Museus, Arte, Criação

Resumo

Este artigo aborda a questão do signifi cado do museu nos escritos de Merleau-Ponty sobre a arte. O problema central diz respeito à oposiçãoentre o processo de criação da obra de arte e o seu estatuto enquanto coisa exposta no museu.

Referências

FERRY, L. Homo Aestheticus. São Paulo: Ensaio, 1984.

GADAMER, H-G. Vérité et méthode. Tradução de Étienne Sacre. Paris: Seuil, 1976.

HENRY, M. Voir le invisible. Paris: François Burin, 1988.

KANDISK. Du espirituel dans l´art et dans la peinture em particulier. Paris: Dnoël, 1969.

MERLEAU-PONTY, M. La Prosa del mundo. Madrid: Taurus, 1976.

______. Fenomenologia e ciências do homem. Rio: Saraiva, 1978.

______. Phénomenologie de la perception. Paris: PUF, 1978.

MATTEI, Jean-François. A Barbárie interior; ensaio sobre o imundo moderno. São Paulo: Unesp, 2002.

OSTROWER, F. Universos da Arte. Rio: Campus, 1983.

VATTIMO, G. O Fim da modernidade. Rio: Martins Fontes, 2000

Publicado
2017-04-26
Edição
Seção
Filosofia