Rousseau, a festa coletiva e o teatro

  • Maria Constança Peres Pissarra PUC-SP
Palavras-chave: Rousseau, Festa Popular, Teatro

Resumo

Tal como para seus opositores – les philosophes – o teatro é para Jean-Jacques Rousseau uma constante preocupação reflexiva. Como sabemos, escreveu algumas óperas e algumas comédias. No entanto, também conhecemos a posição ambígua de Rousseau no mundo das letras do século XVIII; embora, nos primeiros anos em Paris, tenha sido amigo dos filósofos, com o passar do tempo ele mesmo foi se considerando cada vez mais um excluído desse meio, por suas ideias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Constança Peres Pissarra, PUC-SP
Possui graduação em Filosofia pela Universidade de São Paulo, graduação em Língua Francesa - Université de Nancy I/III, mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Atualmente é pesquisadora associada da Universidade de São Paulo e assistente doutor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Política, atuando principalmente nos seguintes temas: liberdade, filosofia, natureza, ética e poder. Membro colaborador da edição do tricentenário das "Oeuvres complètes" de Jean-Jacques Rousseau, sob a direção de Jacques Berchtold, François Jacob e Yannick Séité - EDITIONS CLASSIQUES GARNIER - www.classiques-garnier.com Representante no Brasil da Société Jean-Jacques Rousseau, com sede em Genebra - www.sjjr.ch. Coordenadora, junto com a Profa. Maria das Graças de Souza, da organização do Tricentenário de Jean-Jacqes Rousseau no Brasil (setembro de 2012). Editora da revista Poliética: Revista de Ética e Filosofia Política. Vice-presidente da ABES 18 - Associação Brasileira de Estudos do Século XVII
Publicado
2019-02-18
Seção
Diversos