Vertentes da pesquisa brasileira sobre a metodologia de jogos nos processos de ensino e de aprendizagem de Matemática nos anais do ENEM

Resumo

Nesse artigo, apresentamos um mapeamento realizado nos anais do Encontro Nacional de Educação Matemática (ENEM), no período de 2001 a 2016, que se propôs a investigar o uso de jogos no ensino-aprendizagem de Matemática. Selecionamos e organizamos os trabalhos de acordo com a identificação de temáticas convergentes e divergentes, nas Comunicações Científicas (CC) e Relatos de Experiência (RE). A pesquisa é de natureza qualitativa e apoiou-se na análise documental. Observamos que a metodologia de jogos auxilia a ludicidade, a motivação e o interesse dos alunos, procura desenvolver e significar conceitos matemáticos. Essa abordagem pode favorecer o uso da linguagem e a formação de relações sociais a partir de uma perspectiva metodológica que incentive o pensamento crítico, a investigação, a elaboração de estratégias e a reflexão sobre o erro.

Palavras-chave: Aprendizagem matemática. Jogos didáticos. Educação Matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES-MAZZOTTI, Alda. Judith. Usos e abusos dos estudos de caso. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 129, p. 637-651, set./dez. 2006.

BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais — Primeiro e Segundo Ciclos do Ensino Fundamental: Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais — Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental: Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1998.

GRANDO, Regina Célia. O jogo e suas possibilidades metodológicas no processo ensino- aprendizagem da Matemática. 1995. 175f. Dissertação (Mestrado em Educação) — Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

GRANDO, Regina Célia. O conhecimento matemático e o uso de jogos na sala de aula. 2000. 224f. Tese (Doutorado em Educação) — Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

LORENZATO, Sergio. Laboratório de Ensino de Matemática e materiais didáticos manipuláveis. In: LORENZATO, Sérgio. (Org). O Laboratório de Ensino de Matemática na Formação de Professores. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2012, p. 3-37.

LORENZATO, Sérgio. Para aprender Matemática. 3 ed. rev. Campinas: Autores Associados, 2010.

MARCATTO, Flávia Sueli Fabiani. Experiências de uma micropolítica de formação docente no âmbito do PIBID. In: MARCATTO, Flávia Sueli Fabiani. (Org.). Experiências de uma micropolítica de formação docente no âmbito do PIBID. Uberlândia: Navegando, 2018, p. 7-15.

MUNIZ, Cristiano Alberto. Brincar e jogar: enlaces teóricos e metodológicos no campo da Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

RODRIGUES, Márcio Urel; MISKULIN, Rosana Giareta Sguerra; SILVA, Luciano Duarte; FERREIRA, Nilton Cezar. PIBID como “Terceiro Espaço” na formação de professores de Matemática no Brasil. Perspectivas da Educação Matemática, Campo Grande, v. 9, n. 19, p. 162-183, jan./abr. 2016.

STRAPASON, Lísie Pippi Reis; BISOGNIN, Eleni. Jogos pedagógicos para o ensino de funções no primeiro ano do Ensino Médio. Bolema, Rio Claro, v. 27, n. 46, p. 579-595, ago. 2013.

TURRIONI, Ana Maria; PEREZ, Geraldo. Implementando um Laboratório de Educação Matemática para apoio na formação de professores. In: LORENZATO, Sérgio. (Org). O Laboratório de Ensino de Matemática na Formação de Professores. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2012, p. 57-76.

Publicado
2020-03-24
Seção
Artigos