A experiência de desenvolvimento de um curso de extensão por licenciandos de espanhol

  • Arlindo Júnior Corrêa
  • Isabella Loubach Vaz
  • Thalita Gabrielle Ferreira
  • Joziane Ferraz de Assis
Palavras-chave: LICENA, Língua Espanhola, Formação de professores, Interdisciplinaridade

Resumo

Neste artigo, apresentamos os resultados do curso de extensão El movimiento girasol. Curso de introducción a la lengua española, realizado na Universidade Federal de Viçosa (UFV). O curso teve como objetivo geral apresentar a língua espanhola para os alunos da Licenciatura em Educação do Campo (LICENA). A metodologia do trabalho consistiu em estudos teóricos sobre formação de professores, Educação do Campo e interdisciplinaridade; definição de questões logísticas do curso, como a dinâmica de organização dos participantes e bolsistas-professores nas duas turmas formadas, a carga horária e a disponibilidade de horários para sua realização; o planejamento e a execução do curso. Os resultados do trabalho demonstraram que o objetivo foi alcançado e ainda foram apontadas como positivas a contextualização do curso com o campo, o que facilitou o diálogo e a aprendizagem e promoveu a troca de experiências entre estudantes de Letras e LICENA; a opção temática pela identidade latino-americana e a abordagem metodológica utilizada, com discussões e trabalhos em grupo.

Referências

BAPTISTA, L. M. Minha pátria é minha língua: algumas questões sobre a (de)colonização das línguas e dos sujeitos no ensino de espanhol. Revista Abeache, v. 12, p. 28-47, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, 1999.

CALDART, R. S. Educação do Campo. In: CALDART, R. S.; PEREIRA, I. B.; ALENTEJANO, P.; FRIGOTTO, G. (orgs.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012, p. 259-267.

COIMBRA. J. de Á. A. Considerações sobre a Interdisciplinaridade. In: PHILIPPI JR, A.; TUCCI, C. E. M.; HOGAN, D. J.; NAVEGANTES, R. Interdisciplinaridade em Ciências Ambientais. São Paulo: Signus Editora, 2000, p. 52-70.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. Tradução de Sandra Trabucco. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

D’AGOSTINI, A.; TAFFAREL, C. Z.; SANTOS Jr, C. L. Escola ativa. In: CALDART, R. S.; PEREIRA, I. B.; ALENTEJANO, P.; FRIGOTTO, G. (orgs.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012, p. 315-326.

FAZENDA, I. C. A. (org.). Dicionário em construção: interdisciplinaridade. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

FERNÁNDEZ, G. E. Entre enfoques y métodos: algunas relaciones (in)coherentes en la enseñanza de español lengua extranjera. In: BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Espanhol: Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010, p. 69-84. (Coleção Explorando o Ensino).

FREIRE, P. Política e educação. São Paulo: Cortez, 1997.

PARAQUETT, M. Multiculturalismo, interculturalismo e ensino/aprendizagem de espanhol para brasileiros. In: BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Espanhol: Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010, p. 137-156. (Coleção Explorando o Ensino).

Publicado
2021-07-12