Artigo 10 da lei 9.504/97: relevância e contradições no ingresso de mulheres na política em Cachoeiro de Itapemirim-ES, no período de 1992 a 2020

  • Yasmim Giro São Camilo-ES
Palavras-chave: Mulher, Política, Sub-Representação, Câmara Municipal, Cachoeiro de Itapemirim

Resumo

O trabalho tem como foco a discussão sobre os efeitos na aplicabilidade da lei 9504/97, em seu artigo 10, parágrafo 3, que trata sobre a reserva de vagas para gênero, na cidade de Cachoeiro de Itapemirim-ES, entre os anos 1992 até 2020. Por meio da análise comparativa de dados, observa-se que, apesar de se mostrar eficiente no aumento quantitativo de mulheres concorrendo aos cargos de poder, não configura, no entanto, a ocupação dessas mulheres nos assentos do legislativo. Objetificou-se, através de entrevistas despadronizadas, entender o olhar das mulheres eleitas em Cachoeiro de Itapemirim que concluem, majoritariamente, que não enxergam barreiras para sua atuação dentro da Câmara Municipal, mesmo que em suas falas apresentem situações conflitantes. Apenas uma das entrevistadas apresenta interesse em pautas feministas, o que influi no impacto em suas produções legislativas.

Referências

ALMEIDA, Carla; LUCHMANN Lígia; RIBEIRO, Ednaldo. Associativismo e representação política feminina no Brasil. Brasília: Revista Brasileira de Ciência Política, 2012.

ARAÚJO. Clara. Potencialidades e limites da política de cotas no Brasil. Revista Estudos Feministas, v. 9, n. 1, 2001.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

BRASIL, LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997. Diário Oficial da [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 30 de setembro de 1997. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9504.htm Acesso em: 30 de out. 2020.

CARVALHO, J.M. A formação das almas – O imaginário da República no Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 1990.

COELHO, Leila Machado; BAPTISTA, Marisa. A História da Inserção Política da Mulher no Brasil: uma Trajetória do Espaço Privado ao Público. São Paulo: PSICOLOGIA POLÍTICA, 2009.

GUEDES, Jefferson Carús; NÓBREGA, Ana Karina Vasconcelos da. Da sub-representatividade feminina na política com ênfase no art. 10, § 3º da lei nº 9.504/97: ineficácia das ações afirmativas e a busca pelo modelo político ideal. Curitiba: Brasilian Journal of Development, 2019.

LUNZ. Leandro da Silva. (2019). MULHERES NA POLÍTICA: MYRTHES BEVILÁCQUA CORRADI E LUZIA ALVES TOLEDO NO PODER LEGISLATIVO- 1980 a 2018. Dissertação (Mestrado em História), Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

NADER, Maria Beatriz; RANGEL, Livia de Azevedo Silveira. Mulher e gênero em debate: representações, poder e ideologia. Vitória: EDUFES, 2014.

PINTO, Celi Regina Jardim. Participação (Representação?) política da mulher no Brasil: limites e perspectivas. In: SAFFIOTI, Heleieth I. B.; MUÑOZ-VARGAS, Monica (Orgs.). Mulher brasileira é assim. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1994, p. 195-230.

SOUZA, Dayane Santos de. (2014), Entre o Espírito Santo e Brasília: Mulheres, Carreira Política e o Legislativo Brasileiro a partir da Democratização. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais), Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

TABAK, Fanny; FLORISA, Verucci. A Difícil Igualdade. Londrina: Relume Dumara,1994.

TELES, Maria Amélia de Almeida. Breve História do Feminismo no Brasil. São Paulo, Brasiliense, 1999.
Publicado
2021-07-09