The Healer’s Art:

Um relato de experiência

  • Sofia Orsatto Faculdades Pequeno Príncipe
  • Helena Messias Gomes
  • Marcos Junges Willrich
  • Mariana Cristina Steff Butterbender
  • Rosana Alves
  • Samuel Machado da Silva
  • Suely Grosseman
Palavras-chave: Educação médica, Empatia, Saúde mental

Resumo

O médico é responsável pelo cuidado ao próximo, não se descartando a sua própria necessidade de cuidado. É indiscutível a rotina, frequentemente excruciante, do médico, e suas respectivas consequências na saúde física, emocional e espiritual. O início é precoce, perante o estudante de medicina ou até mesmo antes. A medicina constrói-se em base intelectual, contudo fortemente psicológica, uma vez que questões como luto e perda, essencialmente, caracterizam importantes entraves na prática médica pela ausência de preparo adequado. Assim, desenvolveu-se uma proposta de sensibilização, o curso The Healer's Art (H'ART), “A arte dos que curam plenamente”, em prol do autoconhecimento dos estudantes de medicina, com empatia e foco na educação médica. O curso se desenvolveu em cinco reuniões, em grupos, que trabalharam a autorreflexão e qualidade de vida, partindo do respeito absoluto entre os participantes, em ambiente seguro. Entre os diversos temas trabalhados, como perda, luto e saúde mental, inclui-se também "O cuidado da alma: o serviço como um modo de vida", no último encontro. Concluindo, o curso proporcionou uma esfera de conhecimento em sua pluralidade, pontuando a importância do autocuidado e valores humanos e elevando os estudantes a um estágio de maior solidez para a medicina como um todo.

Referências

DIAS, R. M. Arte e vida no pensamento de Nietzsche. Cadernos Nietzsche, São Paulo, v. 36, n. 1, p. 227-244, jun. 2015.
DRUMMOND, D. Physician burnout: its origin, symptoms, and five main causes. Family Practice Management. v. 22, n. 5, p. 42-47, set./out. 2015.
Expert Advisory Group on Discrimination Bullying and sexual harassment. Report to RACS. 2015. Disponível em: . Acesso em: 11 maio 2022.
FREUDENBERG, H. J. The staff burn-out syndrome in alternative institutions. Psychotherapy Theory, Research and Practice, Washington, n.12, p.73-82, 1975.
JAISWAL, C.; ANDERSON, K.; HAESLER, E. A self-report of the Healer’s art by junior doctors: does the course have a lasting influence on personal experience of humanism, self-nurturing skills and medical counterculture?. BMC medical education. n. 19, p. 443, 2019.
JEAMMET, P.; REYNAUD, M.; CONSOLI, S. Psicologia médica. 2.ed. Rio de Janeiro: Medsi, 2000. 430p.
KOZUCH, A; COUTINHO, G. M. C.; DE MELO. G. R. L. et al. Comparação da saúde mental dos ensinos superiores ano de medicina do primeiro ano de uma instituição de saúde mental no Rio de Janeiro. Brazilian Journal of Health Review. Curitiba, v.4, n.2, p.7627-7646, mar./apr. 2021.
National Mental Health Survey of Doctors and Medical Students. Dhas doctors’ health advisory service. out 2013. Disponível em: . Acesso em: 11 maio 2022.
RAMOS-CERQUEIRA, A. T. A.; LIMA, M. C. P. A formação da identidade do médico: implicações para o ensino de graduação em Medicina. Interface-Comunicação, Saúde, Educação. São Paulo, v. 6, n. 11, p. 107-116, ago. 2002. Disponível em: . Acesso em: 11 maio 2022.
SCOTT K.; CALDWELL.l P. H.; BARNES E. H. et al. “Teaching by humiliation” and mistreatment of medical students in clinical rotations: a pilot study. Medical Journal of Australia. n. 203(4), p. 185e.1-6. ago. 2015.
WERNER, E.R.; KORSCH, B.M. The vulnerability of medical students: posthumous presentation of L.L. Stephen's ideas. Pediatrics, n.57, p.321-8, 1976.
Publicado
2022-07-11
Seção
Relatos de experiência ou Comunicação