Pelos Caminhos de Minas: o Português nos Manuscritos da Estrada Real

  • Maria Antonieta Amarante de Mendonça Cohen UFMG

Resumo

Três manuscritos em língua portuguesa do século XVIII, que estão sendo editados com a finalidade da pesquisa linguística, são apresentados neste artigo (Ms. L, Ms. C, Ms. E). Destaca-se o uso das abreviaturas nele presentes, que são entendidas como material linguístico. Essas devem ser descritas e analisadas como tal dentro de um arcabouço que associa os procedimentos da edição crítica de textos à pesquisa diacrônica. A consideração das abreviaturas iluminou a discussão sobre as origens do advérbio em -mente, entendido como o resultado do entrelaçamento de processos de reanálise e gramaticalização. Os resultados já alcançados são apresentados e discutidos.Três manuscritos em língua portuguesa do século XVIII, que estão sendo editados com a finalidade da pesquisa linguística, são apresentados neste artigo (Ms.L,Ms C,Ms E). Destaca-se o uso das abreviaturas nele presentes, que são entendidas como material linguístico. Essas devem ser descritas e analisadas como tal dentro de um arcabouço que associa os procedimentos da edição crítica de textos à pesquisa diacrônica. A consideração das abreviaturas iluminou a discussão sobre as origens do advérbio em -mente, entendido como o resultado do entrelaçamento de processos de reanálise e gramaticalização . Os resultados já alcançados são apresentados e discutidos.

Biografia do Autor

Maria Antonieta Amarante de Mendonça Cohen, UFMG
Doutora em Linguística histórica, Professora titular de Filologia Românica da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG - Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.
Seção
Artigos