Notas filosóficas sobre o filme “Visages Villages”

  • Lethicia Ouro de Almeida Marques de Oliveira Universidade de Brasília

Resumo

O documentário Visages Villages de Agnès Varda e J.R. mostra um caminho estético-político cheio de sentidos. Acompanhamos os passos da dupla por vilarejos da França, em seus encontros, cliques, colagens e conversas. Nesse andar, convidamos alguns pensadores que nos são caros; eles iluminam aspectos do filme que podem permanecer ocultos num primeiro olhar. Perguntamo-nos: as intervenções artísticas, fotográficas, realizadas na película, possuem caráter utópico? De que forma o trabalho é retratado? Como se mistura arte e política? Idades e gêneros são igualmente valorizados em nossa sociedade? Como uma viagem e uma fotografia podem suscitar memórias afetivas? A arte pode durar, sendo também efêmera? As respostas para essas questões, e outras mais com as quais nos deparamos, cabem a cada espectador provocado pela proposta estética: um filme sobre as pessoas: seus fotos, rostos, e vilarejos.

Publicado
2021-03-07
Seção
Artigos