Concepções de professores de Espanhol como língua estrangeira acerca da autonomia na aprendizagem

Aline Silva Gomes

Resumo


Neste artigo temos como objetivo analisar as concepções de professores de Espanhol como Língua Estrangeira (ELE) acerca da autonomia na aprendizagem. Trata-se de parte dos resultados de uma pesquisa de doutorado que visa discutir sobre o papel da autonomia como elemento mobilizador para a aprendizagem de ELE. O presente estudo está dividido em quatro seções: na primeira, contextualizamos o trabalho proposto; na seção dois, discorremos sobre a importância da autonomia na aprendizagem de línguas; na terceira seção, explicamos a metodologia adotada; na seção quatro, analisamos e discutimos os resultados alcançados durante a pesquisa. Para desenvolvê-la, investigamos dois professores de ELE− um brasileiro e uma espanhola−, a fim de identificar as suas concepções acerca da autonomia na aprendizagem bem como analisar como elas se manifestam em sua prática docente. Como referencial teórico, adotamos os seguintes autores: Dickinson (1994), Sinclair (2000) e Benson (2001).


Palavras-chave


Autonomia na aprendizagem; Ensino de espanhol; Formação docente

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Caletroscópio - Revista do Programa de Pós-graduação em Letras: Estudos da Linguagem da Universidade Federal de Ouro Preto

ISSN (on-line): 2318-4574 

Qualis CAPES: A4 (2017-2018)

Qualis CAPES: B2 (2013-2016)


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional