O ensino da Literatura em diálogo com a Base Nacional Comum Curricular: experiências literárias na pandemia

Palavras-chave: BNCC; Literatura; Ensino de literatura; Extensão

Resumo

Este artigo discute o lugar da Literatura na BNCC e de que forma está sendo travado o diálogo com a escola e os professores da área das Letras. Para isso, valendo-se, principalmente, dos estudos de Rildo Cosson (2020) e Annie Rouxel (2013), busca-se evidenciar como o texto literário chega até o estudante e de que forma o professor contribui para a formação de leitores que dialoguem com o tempo do texto, o do autor e o seu próprio tempo. Ademais, as pesquisas de Jorge Larrosa (2006) e Magda Soares (1999), acerca da escolarização da literatura e da literaturização da escola, são debatidas à luz de duas ações de extensão realizadas com estudantes de instituições públicas de ensino básico. Tais atividades demonstraram que há caminhos possíveis para contemporanizar os clássicos e permitir o diálogo entre os autores e os leitores de diferentes tempos.

 

Referências

AMARILHA, Marly. Por que ler literatura na escola? In: CARVALHO, Diógenes Buenos Aires de; SÁ, Paula Patrícia Fontinele de; VERARDI, Fabiane (Orgs). Quando se lê a literatura infantil e juvenil, o que se lê? Como se lê? Rio de Janeiro: Editora Bonecker Ltda, 2019.
ANDRADE, Carlos Drummond de. Nova reunião. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.
ASSIS, Machado de. Obra Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.
BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.
BRANDÃO, H.; MICHELETTI, G. Aprender e ensinar com textos didáticos e paradidáticos. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2002.
CALVINO, Ítalo. Por que ler os clássicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.
CANDIDO, Antonio. Vários escritos. 6 ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2017.
COSSON, Rildo. Círculos de Leitura e Letramento Literário. São Paulo: Contexto, 2020.
COELHO, Nelly Novaes. Literatura infantil: teoria, análise, didática. São Paulo: Moderna, 2000.
DALVI, Amélia. Literatura na educação básica: propostas, concepções, práticas. Cadernos de Pesquisa em Educação, Vitória, v. 19, n. 38, p. 123-140, jul./dez. 2013.
IPIRANGA, Sarah. O papel da literatura na BNCC: ensino, leitor, leitura e escola. Revista de Letras, São Paulo, v. 1, n. 38, p. 106-114, jan./jun., 2019.
LARROSA, Jorge. La experiencia de la lectura. México: FCE, 2003.
LARROSA, Jorge. Pedagogia profana: danças, piruetas e mascaradas. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.
LARROSA, Jorge. Tremores: escritos sobre experiência. Tradução de Cristina Antunes e João Wanderley Geraldi. 1a ed. 2a reimp. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.
MEIRELES, Cecília. Viagem. 2. ed. São Paulo: Global Editora, 2012.
PETIT, Michèle. A arte de ler ou como resistir à adversidade. Tradução de Arthur Bueno e Camila Boldrini. São Paulo: ED. 34, 2009.
ROUXEL, Annie. Aspectos metodológicos do ensino da literatura. In: DALVI, Maria Amélia; JOVER-FALEIROS, Rita; REZENDE, Neide Luzia de. Leitura de literatura na escola. São Paulo: Parábola, 2013
SOARES, Magda. A escolarização da literatura infantil e juvenil. In: EVANGELISTA, Aracy Alves Martins; BRANDÃO, Heliana Maria Brina; MACHADO, Maria Zélia Versiani. A escolarização da leitura literária: o jogo do livro infantil e juvenil. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 1999.
YUNES, Eliana. A leitura como experiência. São Paulo: Loyola, 2003.
Publicado
2021-12-29