O ERE em língua portuguesa: estratégias pedagógicas com as TDICS em formação inicial de professores

Palavras-chave: Multiletramentos; Cultura Digital; Gêneros Textuais; Sequência Didática de Gênero; Ensino Remoto.

Resumo

Com o Ensino Remoto Emergencial – ERE, as tecnologias digitais ganharam ainda mais espaço na formação inicial de professores, as quais possibilitam a criação de novas maneiras de mobilizar o conhecimento. Nesse sentido, o atual estudo busca avaliar o aporte pedagógico de aplicativos digitais no trabalho docente de professores em formação inicial com a produção do gênero textual resenha, levando em consideração a competência 7 e o campo de atuação das Práticas de estudo e pesquisa da Base Nacional Comum Curricular (BRASIL, 2018). As atividades de produção da resenha foram instrumentalizadas por meio da Sequência Didática de Gênero (DOLZ, NOVERRAZ e SCHNEUWLY, 2004). Por meio dessa proposta experimental, avalia-se que os professores em formação inicial conseguiram utilizar de forma adequada as ferramentas digitais para a aprendizagens do gênero no campo social das Práticas de estudo e pesquisa e, consequentemente, adquiriram novas experiências que ampliaram sua formação teórica e prática. Esse choque de realidade provocado pelo ERE também possibilitou lidar com diversas situações escolares e perceber as necessidades de aprendizagem das competências de linguagem da turma.

Biografia do Autor

Gustavo Justino Pamplona, Universidade de Pernambuco

Graduando do Curso de Letras com habilitação em Língua Portuguesa e Língua Inglesa e suas respectivas literaturas da Universidade de Pernambuco. Bolsista do Programa Residência Pedagógica - Núcleo de Letras (UPE). Integrante do ITESI/CNPq.

Maiara Coelho Rodrigues, Universidade de Pernambuco

Graduanda em Letras com habilitação em Letras Português e Inglês na UPE - Campus Petrolina. Bolsista do Programa Residência Pedagógica - Núcleo de Letras (UPE).

Elizenice de Vasconcelos Peixoto Barros, Universidade de Pernambuco

Professora  da Secretaria de Educação Estadual de Pernambuco. Preceptora do Programa Residência Pedagógica - Núcleo de Letras (UPE). Integrante do ITESI/CNPq.

Geam Karlo-Gomes, Universidade de Pernambuco

Professor do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI), da UPE e do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos – PPGESA. Docente orientador do Programa Residência Pedagógica - Núcleo de Letras (UPE). Líder do ITESI/CNPq. 

Referências

ARAÚJO, Denise Lino de. O que é (e como faz) sequência didática. Entrepalavras, Fortaleza, v. 3, n. 1, 2013. p. 322 - 334. Disponível em: http://www.entrepalavras.ufc.br/revista/index.php/Revista/article/view/148/181 . Acesso em: 20 jul. 2021

ARAÚJO, Antônia Dilamar. Resenha crítica acadêmica: relações entre termos específicos e não específicos. Trabalho apresentado no Congresso Nacional da ABRALIN, 21., 1997. p. 370 – 378. Disponível em: < https://www.abralin.org/site/wp-content/uploads/2020/02/Boletim-da-ABRALIN-1.pdf>. Acesso em: 25 ago. 2021

AZEVEDO, Rosa Oliveira Marins et al. Formação inicial de professores da educação básica no Brasil: trajetória e perspectivas. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 12, n. 37, p. 997-1026, 2012. Disponível em: Acesso em: 27 jul. de 2021.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. São Paulo: Editora 34, 2016.

BRASIL. Edital CAPES n°1/2020 que dispõe sobre o Programa Residência Pedagógica. Disponível em: https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/06012020-edital-1-2020-residencia-pedagogica-pdf . Acesso em 28 de jul. de 2021.

BRASIL. Gabinete do Ministro. Portaria nº544, de 16 de junho de 2020. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-544-de-16-de-junho-de-2020-261924872 . Acesso em: 31 jul. 2021.

BRASIL. CAPES. Portaria gab nº 38, de 28 de fevereiro de 2018. Disponível em: https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/28022018-portaria-n-38-institui-rp-pdf . Acesso em: 31 jul. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

DOLZ, Joaquim; NOVERRAZ, Michèle; SCHNEUWLY, Bernard. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquin (orgs.). Gêneros orais e escritos na escola. Tradução de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004, p.95-128.

LEMKE, Jay. L. Letramento metamidiático: transformando significados e mídias. Trab. Ling. Aplic., Campinas, 49 (2), 2010. p. 455 - 479. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tla/a/pBy7nwSdz6nNy98ZMT9Ddfs/?lang=pt . Acesso em: 27 jul. 2021.

MARCUSCHI, Luís Antônio. A produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008.

MEDEIROS, João Bosco. Redação Científica: a prática de fichamentos, resumos e resenhas. 4 ed. São Paulo: Atlas, 1999.
NETO, Daniel Neves dos Santos, SOUZA, Tito Eugênio Santos. Os gêneros textuais hipermidiáticos e o ensino: aproximações possíveis entre educação e o uso das novas tecnologias. Caderno Intersaberes, [S.I], vol. 5, n.6, p.1-17, jan-dez. 2016. Disponível em: https://www.uninter.com/cadernosuninter/index.php/intersaberes/article/view/378 Acesso em: 01 fev. 2021.

MUNIZ-OLIVEIRA, Siderlene. Subsídios para a compreensão do gênero resenha. Revista Letras, [S.l.], v. 70, 2006. p. 267 - 281. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/letras/article/view/7965 . Acesso em: 20 ago. 2021.

PUEHLER, Luciane Marlova Fontanela; MATSUDA, Alice Atsuko. A Formação Inicial do Professor de Letras: Uma Breve Análise dos Currículos das Faculdades de Curitiba. Revista Leia Escola, [S.l.]: v. 20, n. 3, p. 25-37, dez. 2020. Disponível em: http://revistas.ufcg.edu.br/ch/index.php/Leia/article/view/1926 Acesso em: 01 fev. 2021.

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

ROJO, Roxane. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo (Orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012. p. 11 – 32.

SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Os gêneros escolares – das práticas de linguagem aos objetos de ensino. In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquin (orgs.). Gêneros orais e escritos na escola. Tradução de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004. p. 71 – 94.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.
Publicado
2021-12-29