O spleen em Baudelaire e Lima Barreto: confluências e dissonâncias frente à modernidade

Marília Köenig

Resumo


Resumo: O presente trabalho intenta destacar as semelhanças e divergências entre Charles Baudelaire e Afonso Henriques de Lima Barreto em seus modos de perceber a modernidade. Para tanto, partirei do conceito de spleen, o qual é perceptível tanto na obra do chamado poeta da modernidade quanto no legado do literato carioca Lima Barreto, autor cujas obras venho estudando. Marcado pela atividade jornalística e pela militância que empreendeu no trato com a Literatura, Lima não desenvolve uma forma literária sofisticada, como Baudelaire. Mas não obstante essas diferenças, lembra a autora, as aproximações entre os dois são significativas, visto serem ambos flanêurs ante o moderno, tanto em Paris, signo-cidade da modernidade, quanto na capital da República brasileira à Belle époque. No caso de Lima Barreto, o viés antipastoral acerca da vida moderna, como já pontuei anteriormente, manifesta-se por meio da crítica ao sistema recém-instaurado, bem como uma certa nostalgia com relação ao passado, caracterizam seu spleen.

 

Palavras-chave: Baudelaire. Lima Barreto. Spleen. Confluência.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Caletroscópio - Revista do Programa de Pós-graduação em Letras: Estudos da Linguagem da Universidade Federal de Ouro Preto

ISSN (on-line): 2318-4574 

Qualis CAPES: A4 (2017-2018)

Qualis CAPES: B2 (2013-2016)


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional