Transculturalidade como Estratégia de Tradução no Terceiro Teatro

Palavras-chave: decolonização, terceiro teatro, linguagem cênica

Resumo

O presente artigo realiza uma experiência de pensamento com ênfase no conceito de transculturalidade e suas implicações para o exercício de tradução no teatro. Para tanto, problematiza alguns fundamentos e críticas interculturais à antropologia teatral de fins do século XX. Conclui que a tradução no teatro pode ser pensada desde uma perspectiva multinaturalista na qual o corpo emerge como tradutor e transformador das linguagens.

Biografia do Autor

Cleiton Junior Pereira da Rocha, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Cleiton Junior Pereira da Rocha é doutorando pelo Programa de Pós-graduação em Teatro da Universidade  do Estado de Santa Catarina (UDESC), na linha de pesquisa: Linguagens Cênicas, Corpo e Subjetividade. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2013). Bacharel em Psicologia pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (2010).

Referências

ARENDT, Hannah. Entre o Passado e o Futuro. 2 ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 1979.

BARBA, Eugenio. Teatro: Solidão, Ofício, Revolta. Brasília: Teatro Caleidoscópio, 2010.

BENJAMIN, Walter. Escritos sobre mito e linguagem (1915-1921). São Paulo: Duas Cidades; Ed 34, 2011.

BHARUSCHA, Rustom. Theatre and the World: performance and politics of culture. London, Routledge: 1993.

DOYON, Raphaëlle. Culturalismo e reapropriação conceitual: o inevitável paradoxo da ISTA. Revista Brasileira de Estudos da Presença. Porto Alegre, v. 9 n. 2, e90309, 2019. Disponível em: . Acesso em 02/11/2020.

FALLETTI, Clelia (org). Il corpo scenico. Roma, Itália: Editoria & Spettacolo, 2008.
MENCARELLI, Fernando Antônio. Mapas e Caminhos: práticas corpóreas e transculturalidade. R. bras. est. pres., Porto Alegre, v. 3, n. 1, p. 132-143, jan./abr. 2013. Disponível em: . Acesso em 09/10/2019.

NASPOLINI, Marisa de Souza. Fronteiras em movimento: subjetividade nômade e espaços intersticiais no projeto Magdalena. Tese (Doutorado em Teatro). Programa de Pós-graduação em Teatro. Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, Florianópolis: 2013.

OKAMOTO, Eduardo. PETRONCARI, Vanessa Cristina. Fricções culturais e criações cênicas: Rustom Bharucha. Pitágoras 500, v. 7, n. 1, p. 110-122. Campinas/SP, 2017. Disponível em:
. Acesso em 02/11/2020.

SANTOS, Boaventura de Souza. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das Emergências. Revista Crítica de Ciências Sociais, 63, p. 237-280, Outubro, 2002. Disponível em: < https://journals.openedition.org/rccs/1285>. Acesso em 02/11/2020.

SILVA, Tatiane Cardoso da. Vindenes Bro: um acontecimento diante do tempo. Revista Brasileira de Estudos da Presença. Porto Alegre, v. 9 n. 2, 2019. Disponível em: . Acesso em 02/11/2020.

SIMÃO, Marina Fazzio; SAMPAIO, Juliano Casimiro de Camargo. Corpo e Descolonialidade em Composição Poética Cênica. Rev. Bras. Estud. Presença, Porto Alegre, v. 8, n. 4, p. 665-690, out./dez. 2018. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/presenca. Acesso em 10/10/2019.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Metafísicas canibais: elementos para uma antropologia pós-estrutural. São Paulo: Ubu Editora, n-1 edições, 2018.

VOMERO, Maria Fernanda Ceccon. Nas entranhas da América periférica: reflexões sobre a busca de um pensar mais próprio. Revista Urdimento, Florianópolis, v.2, n.35, p. 388-403, ago/set 2019. Disponível em . Acesso em 12/10/2019.

ZAPATA, Miguel Rubio. O teatro e a nossa América. Revista Urdimento, v.1, n.22, 259 - 266, julho 2014. Disponível em: . Acesso em 12/10/2019.
Publicado
2021-05-31
Seção
Dossiê Arte Indigente - Painéis