Living Theatre em Ouro Preto, prisão e exílio: entrevista com Ilion Troya

Palavras-chave: Living Theatre, Brasil, contracultura, Ditadura, Teatro

Resumo

Entrevista com José Carlos Temple Troya, ou Ilion Troya, como é mais conhecido, integrante do Living Theatre, de Nova York. Há cinquenta anos, em 1971, uma de suas passagens por Ouro Preto ficou marcada em sua trajetória. A convite do renomado grupo de vanguarda norte-americano, que estava no Brasil, Ilion foi viver e atuar com o Living Theatre, que na cidade mineira pretendia criar e encenar o inovador espetáculo O Legado de Caim. Projeto que foi dramaticamente interrompido por agentes da violenta ditadura militar que vigorava no país. Presos, os atores estrangeiros foram expulsos do país e Ilion partiu para o exílio. É sobre o Living Theatre e sua passagem por Ouro Preto, a prisão e o exílio que conversamos nessa entrevista.

 

Biografia do Autor

Leon Kaminski, UEMG

Leon Kaminski é Professor da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Doutor em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), bacharel e mestre em História pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), graduado em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). E-mail: kaminski.historia@gmail.com .

Referências

BECK, Julian. The life of the theatre. San Francisco: City Lights, 1972.

GRANÉS, Carlos. La invención del paraíso: el Living Theatre y el arte de la osadía. Madrid: Taurus, 2015.

MALINA, Judith. The Diaries of Judith Malina, 1947-1957. New York: Grove Press, 1984.

MALINA, Judith. Diário de Judith Malina. Belo Horizonte: Arquivo Público Mineiro, 2008.

Publicado
2021-10-31