Chamada de Artigos - Dossiê: Antonin Artaud e Reverberações

Em diálogo com o tema do evento I Jornada Artaudiana: Antonin Artaud e Reverberações, que ocorreu em maio de 2019 no PPGAC/UFOP, este Dossiê Temático pretende reunir artigos, entrevistas, relatos e traduções que discutam reverberações possíveis da obra e do pensamento Artaudiano em sua interface com a cena contemporânea.

 

Antonin Artaud (1896-1948) dispensa apresentações. Seu nome se destaca dentre os grandes criadores e pensadores das artes cênicas no século XX, sobretudo no que se refere à busca por uma linguagem teatral outra que não a do drama, mas sim calcada no corpo, sua expressividade e movimento – ele tanto discutiu o corpo como um hieróglifo –  matriz de significados em seu Teatro da Crueldade –  como também, posteriormente, o corpo do performer como um corpo anárquico, livre (no famoso e muitas vezes mal compreendido conceito de “corpo-sem-órgãos”). As contribuições da obra de Artaud para a construção do teatro contemporâneo são marcantes, em seu caráter de inovação e experimentação, naquilo mesmo que a cena contemporânea tem de múltipla, indômita, física e intensa. Já há em Artaud a abertura para o “não-ocidental”, na medida em que ele buscou fora do ocidente um caminho, assim como há também em sua obra elementos que apontam em direção ao futuro paradigma de uma performatividade (como discutido pela própria Josette Féral).

 

A vida de Artaud está inserida em seus escritos. No caso de Artaud, seu pathos é também seu caminho e sua “loucura”: sua profunda crítica aos descaminhos da modernidade e sua tentativa de estabelecer novas possibilidades de se fazer teatro. Sua obra, seminal, propôs a transformação radical do fazer teatral ocidental no início do século XX. A posição assumida por Artaud em prol da construção de uma cena cuja poética não dependa das palavras, e a sinalização de que ainda antes a razão e o discurso, bem como o sujeito, entraram em crise; mostram uma tendência, uma virada na maré que se mostrará dominante ao longo de todo o século XX. Essa percepção será ainda ecoada por muitos outros artistas e pensadores, mas décadas seguintes., dentro e fora do teatro. A partir de Artaud, e em um trabalho que depois seria fortalecido por outros como Jerzy Grotowski e Eugenio Barba, temos a transformação radical do trabalho do ator e do que seja a pesquisa em artes cênicas. Sua influência também será forte em encenadores como Peter Brooke e em inúmeros grupos teatrais, no Brasil e no mundo. Além disso, filósofos como Jacques Derrida e Gilles Deleuze serão profundamente influenciados por seus escritos.

 

Neste sentido, tendo em vista as inúmeras reverberações possíveis da obra de Artaud, a próxima edição da Revista Ephemera, organizada pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal de Ouro Preto, espera receber trabalhos resultantes de pesquisas vinculadas à temática proposta, explorando o tema em diferentes perspectivas e suas distintas variações a partir de atravessamentos, por exemplo, com:

 

  • Antonin Artaud e o Surrealismo;
  • O Teatro da Crueldade: limites e possibilidades;
  • Reverberações Artaudianas: na cultura pop, na música, no teatro;
  • Antonin Artaud e sua influência na cena contemporânea: performers, grupos e/ou espetáculos;
  • Antonin Artaud e a Performance;
  • A influência de Artaud na filosofia de Derrida, Deleuze e outros;
  • Artaud e o Performance Studies: possíveis relações?;
  • A influência de Artaud em Jerzy Grotowski;
  • Artaud, loucura e lucidez;
  • Atletismo afetivo e treinamento do ator;
  • O corpo sem órgãos: entre a utopia e a realidade;
  • Artaud e a Filosofia-Performance.

Importante! Lembramos ainda que a Revista Ephemera também recebe, em fluxo contínuo, artigos de temáticas variadas (Seção Fluxo) ligadas ao escopo central da revista, desde que sejam inéditos e resultantes de revisões bibliográficas, relatos de investigações e experimentações, pesquisas acadêmicas e reflexões criativas sobre processos contemporâneos de criação e sobre marcos históricos importantes nas artes cênicas, aceitando contribuições de autores nacionais e estrangeiros. Além disso. a Seção Acontece também aceita, em fluxo contínuo, contribuições em formatos variados: entrevistas, resenhas sobre livros e crítica de espetáculos, festivais, etc. Os pesquisadores, brasileiros e estrangeiros, podem enviar seus textos para avaliação a qualquer momento, não sendo necessário aguardar a chamada para a submissão de artigos.

  

Maiores informações podem ser encontradas em nosso website, https://www.periodicos.ufop.br/pp/index.php/ephemera. Nossas diretrizes para aceite e publicação podem ser visualizadas em “Diretrizes para Autores”, e devem ser seguidas à risca: https://www.periodicos.ufop.br/pp/index.php/ephemera/about/submissions#authorGuidelines

 

 

Idiomas aceitos: Português, Inglês, Espanhol e Francês.