Chamada de Artigos - Dossiê: Corpos e Deficiência em Cena: para além da inclusão e da acessibilidade

A Revista Ephemera (PPGAC/UFOP), novo periódico eletrônico de acesso livre e revisão por pares, sem taxas de submissão ou publicação, receberá 15 de março de 2020 artigos inéditos para o dossiê Corpos Deficientes em Cena: para além da inclusão e da acessibilidade, a ser publicado em seu quinto número, com previsão de lançamento em julho/agosto de 2020.

 Nas últimas décadas, o campo de investigação sobre processos de criação envolvendo corpos e deficiência em cena tem se apresentado de modo mais sistemático e menos genérico. A validade e o reconhecimento estético de Grupos e Companhias profissionais (nacionais e internacionais), trabalhos solos e autorais, bem como uma discussão mais balizada em termos conceituais vem ampliando o horizonte ontológico, o lugar epistemológico e os aspectos axiológicos em torno da questão.

 Pensar a variedade de corpos, hoje, e na cena artística contemporânea, envolve não apenas a produção de espetáculos, mas uma radical ressignificação do lugar desses corpos e suas diferenças e singularidades frente aos processos de enfrentamento das barreiras físicas e culturais, impostas por equívocos e distorções ao longo da tradição. O corpo com deficiência, como um corpo diferente, em sua alteridade, provoca em cena uma ampliação da escuta e do modo como o olhar sobre ele se constrói a partir dos diferentes discursos. Trata-se da produção de sentido a partir, sobretudo, de novas e inusitadas formas de pensar e de sentir.

 A historicidade desse corpo dentro das artes performativas do século XX inaugura um campo de saber diretamente ligado à esfera política, principalmente, no que diz respeito à autonomia artística e, consequentemente, às implicações subjetivas dos corpos fora dos padrões normativos e/ou de normalidade, ditados em áreas como: a dança, o teatro, a performance, a instalação, a fotografia, o cinema e o audiovisual.

 A transferência da questão do corpo com deficiência do campo médico para o campo jurídico, político e estético representa um avanço no sentido de melhor delimitar o estado da arte acerca do proposto tema. A presente chamada se traduz no convite a pensar os dispositivos e os gatilhos do corpo e as diferentes práticas que incluem e privilegiam a diferença como mola propulsora da criação em arte. Para tanto, sugerimos como parte desse circuito de saberes e fazeres os seguintes estímulos:

 -  Possibilidades estéticas a partir do copo e da deficiência.

 -  Questões terminológicas e o estado da arte.

 -  Da sensorialidade à multisensorialidade.

 -  Princípios de audiodescrição.

 -  Escrita das sensações.

 -  Ampliação da escuta.

 -  O corpo deficiente em campo expandido.

 -  Outros temas que se relacionem à temática deste dossiê.

  

Importante!

Lembramos ainda que a Revista Ephemera também recebe, em fluxo contínuo, artigos de temáticas variadas (Seção Fluxo) ligadas ao escopo central da revista, desde que sejam inéditos e resultantes de revisões bibliográficas, relatos de investigações e experimentações, pesquisas acadêmicas e reflexões criativas sobre processos contemporâneos de criação e sobre marcos históricos importantes nas artes cênicas, aceitando contribuições de autores nacionais e estrangeiros. Além disso. a Seção Acontece também aceita, em fluxo contínuo, contribuições em formatos variados: entrevistas, resenhas sobre livros e crítica de espetáculos, festivais, etc. Os pesquisadores, brasileiros e estrangeiros, podem enviar seus textos para avaliação a qualquer momento, não sendo necessário aguardar a chamada para a submissão de artigos.

 

Maiores informações podem ser encontradas em nosso website, https://www.periodicos.ufop.br/pp/index.php/ephemera.

Nossas diretrizes para aceite e publicação podem ser visualizadas em “Diretrizes para Autores”, e devem ser seguidas à risca: https://www.periodicos.ufop.br/pp/index.php/ephemera/about/submissions#authorGuidelines

 

Idiomas aceitos: Português, Inglês, Francês e Espanhol.